5 de novembro de 2012

Gênios (Djinns)

۞ ADM Sleipnir



Gênio é a tradução usual em português para o termo árabe "jinn | جن", uma vez que na mitologia árabe pré-islâmica e no Islã, um jinn (também "djinn" ou "djin") é um membro dos jinni (or "djinni"), uma raça de criaturas sobrenaturais. A palavra "jinn" significa literalmente alguma coisa que tem uma conotação de dissimulação, invisibilidade, isolamento e distanciamento. A palavra em português vem do latim genius, que significa uma espécie de espírito guardião ou tutelar do qual se pensava serem designados para cada pessoa quando do seu nascimento. Portanto, o gênio é concebido como um ente espiritual ou imaterial, muito próximo do ser humano, e que sobre ele exerce uma forte, cotidiana e decisiva influência. A palavra latina tomou o lugar da palavra árabe, com a qual não está relacionada.

Origens

De acordo com o islamismo, os jinni foram criados dois mil anos antes da criação de Adão e eram possuidores de elevada posição no paraíso, grosso modo igual ao dos anjos, embora na hierarquia celeste fossem provavelmente considerados inferiores aos mesmos. Deles é dito serem feitos de ar e fogo. Depois de Alá ter criado Adão, todavia, sob a liderança do seu orgulhoso líder Iblis, os jinni se recusaram a curvar-se perante a nova criatura. Pela sua má conduta, os jinni foram expulsos do paraíso, tornando-se entes perversos e asquerosos. Iblis, que foi atirado com eles na Terra, tornou-se equivalente ao Satanás cristão.


É curioso notar que na literatura hebraica, Lilith, a suposta primeira esposa de Adão, também foi similarmente punida por Deus pela mesma atitude: a recusa em se submeter ao homem. Convertida em demônio, Lilith passou então a infernizar a humanidade.

Características

Na Terra, os jinni teriam adotado as míticas Montanhas Káf (que supostamente circundam o mundo) como seu lar adotivo. Todavia, sendo compostos de fogo ou ar e tendo a capacidade de assumir qualquer forma humana ou animal, os jinni podem residir no ar, no fogo, sob a terra e em praticamente qualquer objecto inanimado concebível: pedras, lamparinas, garrafas vazias, árvores, ruínas etc. Na hierarquia sobrenatural, os jinni, embora inferiores aos demônios, são não obstante extremamente fortes e astuciosos. Eles possuem todas as necessidades físicas dos humanos, podendo até mesmo serem mortos, mas estão livres de quaisquer restrições físicas.

Nem todos os jinni são casos totalmente perdidos. De alguns diz-se que possuem uma disposição favorável em relação à humanidade, ajudando-a quando precisa de ajuda, ou mais provavelmente, quando isto é conveniente para os interesses do jinn. Na maioria dos casos citados na literatura e no folclore, contudo, eles se divertem em punir os seres humanos por quaisquer atos que considerem nocivos, e são assim responsabilizados por muitas moléstias e todos os tipos de acidentes. Todavia, quem conhecer os necessários procedimentos mágicos para lidar com os jinni, pode utilizá-los em proveito próprio.



Alguns tipos de jinn:

-Ghul: espíritos traiçoeiros que mudam de forma;
-Ifrit: espíritos diabólicos;
-Si'la: espíritos traiçoeiros de forma invariável.

Poderes Conhecidos :


-Alterar a realidade: pode colocar as pessoas em uma realidade falsa por tocá-los;

-Intoxicação pelo Toque: Eles podem envenenar qualquer pessoa que quer apenas tocá-los;
-Força sobre humana: eles são mais fortes que os humanos;
-Homem disfarçado: Djiins pode passar como seres humanos.


Djinn na cultura islâmica 


A crença nos Djinn era corrente na antiga Arábia, onde se dizia que inspiravam poetas e adivinhos. O próprio Profeta Muhammad temeu a princípio que as revelações divinas que lhe foram feitas pudessem ser obra dos Djinn. O fato de que posteriormente tenham sido reconhecidos oficialmente pelo Islamismo implica que eles, como os seres humanos, serão eventualmente obrigados a encarar a salvação ou a danação perpétua.

Os Djinn sempre foram figuras fáceis no folclore do norte da África, e nos países sob influência cultural islâmica eles também penetraram graças à literatura árabe (particularmente As Mil e Uma Noites) e às descrições do Corão.

No Corão, os Djinn são freqüentemente mencionados e a sura 72, intitulada Al-Jinn, é inteiramente dedicada a eles (sura ou surata é o nome dado a cada capítulo do Alcorão). Outra sura (Al- Naas) menciona os Djinn no último versículo. Realmente, é dito que o Profeta Muhammad foi enviado para ser o profeta de ambos, da "humanidade e dos Djinn".

Os Djinn podem ser considerados gênios apesar de hoje em dia falar-se de vários espíritos com nome de Djinn. Na antiguidade acreditava-se que um Djinn era a reencarnação do Faraó. Segundo alguns historiadores egípcios o faraó que mais ligações possuía com estes seres era Akhenaton cujo nome inicial foi Amen-hotep IV. Este faraó tentou convencer os seus súditos a acreditarem num único deus: Aton. Este particular deus era representado pelo próprio faraó e não possuía qualquer imagem própria. Apesar de muitas pessoas pensarem que esta tentativa de Akhenaton devia-se ao fato de ele querer retirar o poder dos sacerdotes, existem também crenças de que esta nova religião estava inteiramente ligada aos Djinn. Aton seria assim, um Djinn que o faraó conhecera e venerara como a um deus, devido à capacidade de este conseguir realizar desejos.

Os Djinn possuíam características próprias como a sua capacidade de materializar objetos, comida ou outros, e a sua grande capacidade de viver mais tempo que os mortais. Os Djinn podiam caminhar no dia-a-dia por entre as pessoas comuns sem serem reconhecidos pois possuíam aparência humana. Pensa-se que tenha sido daí que a princesa Xerazade tenha tirado a idéia para relatar o primeiro conto de Aladin e de todos os outros contos sobre gênios que ela relatou. Os Djinn, segundo historiadores, eram seres que amavam o calor e dependiam do fogo.

Djinns na cultura ocidental


Os jinns deram o ar de sua graça em produções ocidentais para cinema e TV e que não tinham necessariamente o mundo árabe como tema, como no caso dos vários filmes e desenhos como "Aladim" e Shazzan. Quem não se lembra do famoso "I Dream of Jeannie" ("Jeannie é um Gênio", no Brasil), onde a protagonista Jeannie, interpretada pela bela Barbara Eden, é uma jinn que vive dentro de uma garrafa sob os cuidados de um escrupuloso oficial da USAF. Em pelo menos dois episódios da série Supernatural, os irmãos Winchester enfrentam jinns: 2x20 e 6x01. Pra quem gostou da versão diabólica dos jinns, há o excelente filme O Mestre dos Desejos. (Wishmaster) .


Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

11 comentários:

  1. So gostaria de poder entender o fato de personagens caracteristicos da cultura judaico-cristã no qual ai citado Adão estão presentes nesses mitos e o tao "Deus" ai citado na parte da Origen referese ao mesmo Deus da crença judaico-cristã ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Os muçulmanos acreditam que Alá ("Deus" em árabe) é o mesmo Deus dos judeus e dos cristãos.

      Excluir
  2. Muito bom, Jinns sempre foram criaturas extremamente misteriosas para mim, agora elas ficaram um pouco menos misteriosas. Sensacionalmente fenomenal esse blog, foi amor á primeira vista!!! Mas... Posso fazer alguns pedidos? (Não sei exatamente onde fazê-los, mas então irei pedir aqui, tudo bem?) é que eu tenho um livro de cultura indígena, e existe nele uma deusa chamada Ceuci. No entanto, os contos divergem muito sobre a sua natureza e aparência, só dizem basicamente que ela é a personificação da constelação de Plêiades. Vocês podem pesquisar sobre ela? E, falando em lendas brasileiras, existem algumas lendas que eu vi quando beeeeeem pequenina e que eram muito legais, mas não tenho as histórias e nem nomes delas T^T. Vocês poderiam procurar elas para mim? Uma delas é sobre um gato preto feito de sombras, não lembro se ele era exatamente maligno, mas era visto como mal agouro e geralmente aparecia perto do por-do-sol (acho) também penso que ele deva ser do sul do país, mas não tenho certeza. A segunda é sobre uma princesa no nordeste. Ela construiu seu palácio logo abaixo das famosas falésias que existem na região, mas um dia houve um desabamento e soterrou o castelo inteiro, com ela dentro, além da corte, o tesouro, etc. E dizem que o espírito dela ainda assombra o local, esperando que alguém ache o castelo e desenterre a princesa- bom, o que restou dela. Não faço a mínima idéia do nome da fulana muito menos do nome do gato, por isso as pesquisas que fiz não deram em nada. Vocês poderiam ver sobre esses mitos, e, se por acaso encontrassem alguma coisa, postar no blog? Obrigada por me ouvirem, e saibam que já coloquei esse blog nos meus favoritos. Um trabalho assim merece ser reconhecido. ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário e pelos elogios Liv. Irei pesquisar sobre esses mitos citados por você, e dentro do possível estarei trazendo eles ao blog. Tenho um livro sobre lendas brasileiras que acredito que poderá me ajudar nessa pesquisa.

      Excluir
  3. O que não foi dito: Aquele que possuir um Djinn, um ídolo, (ao qual é sua verdadeira imagem transmórfica disfarçada) terá para si a energia Cósmica dos desejos que regem os universos ( Multiversos), poderá manipular a matéria como um todo, modificar as estruturas do tempo e do espaço, sempre no controle da lei de atração. Nada lhes será impossível. Desde que possua este ser pequenino, cujo corpo metaliforme é idêntico a uma carne estranha metalescente. (lembra uma estatueta pequena e estranha de um humanoide). Como sei? Rsss, eu o sei, eu o possuo!  Ass: Um dos Senhores do Universo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sabe que não pode se revelar nem como anônimo. É melhor que seu Djinn (como você chama) seja poderoso, pois estamos indo lhe buscar para a devida punição. E quanto à esta realidade, já dei meu jeito para que as pessoas duvidem da nossa existência como Senhores do Universo.

      Excluir
  4. Muito Bom...Sou muçulmano e vc relata muito bem o fato.
    Sendo que os Djinns Foram Criados de Fogo somente.
    Os anjos de Luz somente.
    E os Homens do Barro.
    Agora....Será que os mesmos Djinns não podem estar disfarçados de Entidades???

    ResponderExcluir
  5. Penso que alguns conceitos sobre os genios sao bastante paralelos aos conceitos relativos aos exus da umbanda, que podem estar em diferentes niveis evolutivos, da mesma forma que outros os associam aos demonios da goecia, enquanto os fundamentalistas puritanos (cristaos, judeus, muculmanos) precisam de diabos 100% do mal para justificar nossas mas acoes, esquecendo nessa hora do tal do livre arbitrio. Como simpatizante do kardecismo e da umbanda, os genios para mim sao da mesma classe dos exus, espiritos humanos desencarnados que trabalham nas trevas (nao para as) a favor da lei divina. No entanto ha espiritos trevosos (do mal) que se usam dos nomes dos que ja estam mais ajustados perante a lei, para causar confusao e malediciencia dos que estao a servico da lei.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom, mas o que se sabe sobre a Montanha káf?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLá Rafael! Não consegui encontrar quase nenhuma informação adicional sobre essas montanhas. As Montanhas Kaf (do persa قاف; Kafkuh, Cafcuh) seriam um conjunto de montanhas que circundam o mundo (ou o universo, segundo outras fontes).

      Excluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby