7 de março de 2013

Pan Gu

۞ ADM Sleipnir

Pan Gu (ou Pan Ku) foi a primeira criatura viva, e o criador do mundo de acordo com a mitologia chinesa. Entre seus atos de criação, estão a separação da terra e do céu, a colocação das estrelas e dos planetas no céu e a formação da superfície da Terra.

No princípio dos tempos, o universo consistia apenas de caos e escuridão, sob a forma de um ovo cósmico. Dentro do ovo estava um gigante adormecido chamado Pan Gu. Um dia Pan Gu acordou e se espreguiçou, fazendo com que o ovo abrisse. Depois que Pan Gu surgiu, a luz, as partes puras do ovo tornaram-se o céu, enquanto as partes mais pesadas formaram a terra. Esta separação da terra e do céu marcou o início do yin e yang, as duas forças opostas do universo.


Já gigantesco em tamanho, Pan Gu ficava 10 pés mais alto a cada dia. Isso aconteceu por 18 mil anos, e, como se tornou gigante, ele empurrou a terra e o céu mais distantes e começou a moldá-los com suas ferramentas, até que atingiram a sua presente posição e aparência. Exausto por seu trabalho, Pan Gu finalmente adormeceu e morreu.

Após a sua morte, partes de seu corpo foram transformados em características diferentes do mundo. De acordo com algumas histórias, a cabeça, braços, pés e estômago tornaram-se grandes montanhas que ajudam a ancorar o mundo e marcar seus limites. Outras histórias dizem que a respiração de Pan Gu foi transformada no vento e as nuvens, sua voz tornou-se os trovões, e os seus olhos se tornaram o sol e a lua. O sangue de Pan Gu formou os rios e mares; suas veias foram transformadas em estradas e caminhos, o seu suor tornou-se chuva e orvalho; seus ossos e dentes transformados em pedra e metal; sua carne transformada em solo, o cabelo da sua cabeça se tornou as estrelas; e o cabelo em seu corpo foi transformado em vegetação.

Alguns mitos dizem que os humanos se desenvolveram a partir de pulgas e parasitas que caíram do corpo e da barba de Pan Gu. Outras histórias, no entanto, dizem que foi a deusa Nu Kwa quem criou os seres humanos, moldando-os de argila e deixando-os no sol para secar. Quando uma chuva repentina começou a cair, Nu Kwa apressadamente amarrou as figuras de barro, danificando alguns no processo, o que explica por que algumas pessoas são aleijadas ou inválidas.

Apesar de um gigante, Pan Gu é geralmente retratada na arte chinesa como uma pessoa pouco vestida com uma pele de urso ou folhas, segurando um martelo e um cinzel ou o ovo cósmico da criação. Às vezes ele é mostrado trabalhando com suas ferramentas para criar o mundo, acompanhado por quatro criaturas sobrenaturais: um unicórnio, uma tartaruga, uma fênix e um dragão. Os primeiros mitos conhecidos de Pan Gu datam de 200 a 500 d.C. . Embora primariamente uma figura da crença taoísta, ele também aparece às vezes na mitologia budista chinesa.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

Um comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby