16 de dezembro de 2013

Chemosh

۞ ADM Sleipnir


Chemosh (Quemos, Camos) era o deus dos moabitas, e o seu nome provavelmente significa "destruidor", "subjulgador" ou ainda "deus-peixe" . Enquanto ele é mais facilmente associado com os moabitas, de acordo com o livro bíblico de Juízes 11:24, ele parece ter sido também a divindade nacional dos amonitas. Sua presença no mundo do Antigo Testamento era bem conhecida, devido à importação de seu culto por Jerusalém pelo Rei Salomão (1 Reis 11:07 ). O mesmo construiu um altar para Chemosh, “no monte que estava defronte de Jerusalém” (1Rs 11:1, 7, 8, 33). O desprezo hebraico pelo seu culto era evidente através da expressão  "a abominação de Moabe ", presente nas escrituras. O rei Josias destruiu o ramo israelita do culto (2 Reis 23).

Informações sobre Chemosh são escassas, mas apesar disso, a arqueologia e algumas escrituras podem ajudar a formar uma imagem mais clara da divindade.

A Pedra Moabita ( Estela de Mesa )

Em 1868, um achado arqueológico em Dibom providenciou aos estudiosos do assunto mais pistas sobre a natureza da Chemosh.  A descoberta, conhecida como a Pedra Moabita ou Estela de Mesa, é um monumento com uma inscrição comemorativa, criada por volta do ano 830 a.C. para exaltar a vitória do Rei Mesa sobre os israelitas, atribuindo o seu êxito à Chemosh. A vassalagem existia desde o reinado de Davi ( 2 Samuel 8:2 ), mas os moabitas se revoltaram contra isso após a morte do rei Acabe. 

É um documento que  contém a mais antiga inscrição existente de um alfabeto semita, sendo de grande importância e interessante relativo ao estudo da linguística hebraica, ou seja, a formação e evolução do alfabeto hebraico. 



Ela se encontra hoje em dia no Museu do Louvre, em Paris. Com a exceção de algumas variações, mostra que a escrita dos moabitas era idêntica ao hebraico. Menciona o Tetragrama Sagrado no lado direito da estela, na linha 18. Ela também confirma o nome de locais e de cidades moabitas mencionadas no texto bíblico: Atarote e Nebo (Números 32:34,38), Aroer, o Vale de Árnon, planalto de Medeba, Díbon (Josué 13:9), Bamote-Baal, Bet-Baal-Meon, Jaaz [em hebr. Yáhtsha] e Quiriataim (Josué 13:17-19), Bezer (Josué 20:8), Horonaim (Isaías 15:5), e Bet-Diblataim e Queriote (Jeremias 48:22,24).

A Pedra Moabita é uma fonte inestimável de informações sobre Chemosh. O texto gravado nela menciona Chemosh doze vezes. Ela também cita Mesa como sendo filho de Chemosh. Mesa deixa claro que ele entendia a ira de Chemosh e a razão pela qual ele permitiu que os moabitas caíssem sob o domínio de Israel. 

Sacrifícios de sangue 

Chemosh parece também ter um gosto por sangue. Em 2 Reis 3:27 pode-se verificar que o sacrifício humano fazia parte dos ritos de Chemosh. Esta prática, embora terrível, certamente não era exclusiva dos moabitas , pois tais ritos eram comuns nos diversos cultos religiosos dos cananeus , incluindo os de Baal e Moloque. Mitologistas e outros estudiosos sugerem que essa atividade pode ser devido ao fato de os Chemosh e outros deuses cananeus , como Baal , Moloque, Tamuz, e Baalzebub eram todos personificações do sol, ou dos raios do sol. Eles representavam o cruel, inevitável , e muitas vezes desgastante calor do sol ( um elemento necessário, mas mortal para a vida; análogos podem ser encontrados no culto asteca ao sol).

Síntese dos deuses semitas

Implicitamente, Chemosh e a Pedra Moabita parecem revelar algo sobre a natureza da religião nas regiões semitas desse período. Ambos fornecem ideías sobre o fato de que deusas eram de fato secundárias nessas regiões, e em muitos casos eram dissolvidas ou combinadas com divindades masculinas. Isto pode ser visto nas inscrições da Pedra Moabita onde Chemosh é também referido como Asthar-Chemosh. Tal síntese revela a masculinização de Astarote, uma deusa cananéia adorada pelos moabitas e outros povos semitas. Os estudiosos da Bíblia também observaram que o papel da Chemosh nas inscrições da Pedra Moabita é análogo ao de Yahweh no livro de Reis. Assim, parece que a relação semita para respectivas divindades nacionais atuavam de forma semelhante de região em região .


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

14 comentários:

  1. sou professora de escola biblica dominical e foi mt interessante entrar no blog pra absorver mais esclarecimentos sobre esse deus, toda honra e gloria ao DEUS dos DEUSES,nosso JESUS CRISTO

    ResponderExcluir
  2. Esse vamos aparece em um filme do conan.

    ResponderExcluir
  3. seria interessante colocar as letras brancas ao invés de vermelhas, pois ficaria melhor de ler este site que é muito bom.

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do post, parabéns pela pesquisa, também gostei muito do site, recheado de coisas interessantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Jonatas! Continue acompanhando nossas postagens!

      Excluir
  5. Gostei muito desse site ...mas tem que mudar essa tela vermelha arde o olho...jesus esta voltando

    ResponderExcluir
  6. muito boa essas informaçoes me ajudou obrigado pelo seu empenho

    ResponderExcluir
  7. Respostas
    1. É sim!
      Jesus Cristo é Deus e, por isso, é o Criador e sustentador de todas as coisas: “pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.” (Colossenses 1.16 -17)

      Jesus é o Deus bendito para todo o Sempre: “deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém!” (Romanos 9.5)

      Jesus é Deus e tem em si a glória divina: “e, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo.” (João 17.5)

      Jesus é o grande Deus e Salvador: “aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus” (Tito 2.13)

      Jesus é o verdadeiro Deus e a vida eterna: “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” (1 João 5.20)

      Jesus Cristo é Deus, por isso, tem autoridade para perdoar pecados e fazer milagres: “Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados — disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.” (Mateus 9.6)

      Jesus é igual a Deus: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.” ( João 14.1)

      Jesus é adorado como Deus: “Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” (Filipenses 2.9 -11)

      Jesus Cristo é Deus, por isso, é o Todo-Poderoso: “Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.” (Ap 1.8 )

      Excluir
    2. Você só copiou e colou essa baboseira. Cristãos parecem robôs com seus discursos prontos e falhos.

      Excluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby