3 de julho de 2017

Perun

۞ ADM Sleipnir




Perun (em cirílico: Перун) é o deus eslavo das tempestades, dos raios e dos trovões. Ele é um dos mais poderosos deuses eslavos e membro da trindade eslava (Triglav), juntamente com Svarog e SvetovidDevido aos seus atributos e personalidade, Perun costuma ser comparado ao deus grego Zeus e aos nórdicos Odin e Thor .

Perun é considerado uma figura temível em termos de poder, mas assim como Zeus, ele é uma divindade paternal e líder dos deuses eslavos. Apesar de também ser comparado ao nórdico Odin, sua aparência se assemelha mais à seu filho Thor. Com uma longa barba cobreada, Perun é um homem musculoso e robusto, que monta uma carruagem puxada por uma cabra. Segundo as lendas, os trovões eram o barulho das rodas de sua carruagem enquanto o mesmo viajava pelos céus.
Essencialmente, Perun não é apenas o deus do trovão e dos raios, ele é também o patrono dos soldados e dos nobres guerreiros, o deus governante e guardião da lei e também o estandarte do poder e dominação masculina. Perun ocupa um lugar familiar na mitologia como um deus poderoso e temperamental, cujas ações eram baseadas em parte no seu temperamento. 

Tal como acontece com grande parte da mitologia em todas as culturas, as histórias de Perun eram contadas pelo menos em parte para ajudar a explicar o mundo em que os eslavos viviam. Terremotos, tempestades violentas e outros atos imprevisíveis da natureza eram muitas vezes atribuídos à Perun e ao seu temperamento explosivo. Como líder dos deuses, Perun era o exemplo mais visível de como o seu poder influenciava o mundo em que os eslavos viviam.
  
Arte de Krzysztof Gielczynski

Armas

Perun possui uma variedade de armas poderosas. Uma delas é o seu machado, com o qual é muitas vezes representado. Assim como o martelo de Thor, o machado de Perun retornava para ele depois de atirado. O machado de Perun era muitas vezes usado como um colar por eslavos pagãos para proteção contra doenças, contra raios e contra o mal em geral. Perun também possui uma marreta de pedra, a qual ele lança em seus inimigos e os petrifica. Outra arma do arsenal de Perun é um arco mágico, com o qual ele atira raios como se fossem flechas. A arma mais poderosa de Perun são as chamadas "Maçãs de Ouro". Na verdade, elas eram bolas de raios, e seu poder de destruição é devastador. 

Mitologia 

Perun é filho dos deuses Svarog e Lada, ou segundo uma versão do mito, ele nasceu de Lada após ela comer um peixe que continha a semente de Rod, o deus criador. O nascimento de Perun foi anunciado por um grande terremoto. Ainda bebê, Perun demonstrou seu poder e seu temperamento em histórias onde ele supera grandes desafios. 

Em uma dessas histórias, Perun é levado para o submundo por uma serpente, e permanece lá dormindo por 300 anos. Após finalmente ser encontrado e acordado pelos servos de sua mãe, Perun enfrenta uma longa jornada até encontrar e derrotar a serpente. Depois, retorna aos céus e assume o posto de líder do panteão.




Perun e Veles

Assim como na mitologia nórdica, o mundo eslavo era retratado como uma grande árvore de carvalho, que separa o mundo em três partes: Parv, onde os deuses governavam, Yav, que é habitado pelo homem e constitui tudo o que pode ser visto pelo olho mortal, e, finalmente, Nav, que é mostrado como as raízes da árvore e é a terra dos mortos, em outras palavras, o submundo eslavo. Debruçado sobre os ramos de Parv, Perun vigia o mundo mortal, protegendo-o de irregularidades, como Veles, o deus do submundo.

A relação entre Perun e Veles é vista em um mito eslavo que descreve a subida anual de Veles, na forma de uma serpente ou dragão, através da árvore do mundo até Parv, onde sempre rouba algo pertencente à Perun, seja seus filhos, sua esposa ou seu gado. Perun persegue Veles ao redor da terra, atacando-o com seus raios do céu. Veles foge dele transformando-se em vários animais, ou se esconde atrás de árvores, casas ou pessoas. Os eslavos acreditavam que onde quer que um raio atingisse, Veles estava se escondendo de Perun debaixo ou atrás desse local.

Arte de Bua-Ryohei-Jr

Ao
final da batalha, Veles é morto ou mandado de volta para o submundo, e tudo o que ele roubou é restituído sob a forma de chuva.
 
Perun então retorna triunfante ao seu trono no topo da árvore, onde exclama com orgulho leva seu trono no topo da árvore. Este mito se repete a cada ano, quando Veles retorna como uma serpente mais uma vez, deixando cair sua pele ferida pela batalha anterior.

Para os eslavos, a vinda das chuvas significava a vitória de Perun sobre Veles. Sempre que havia um atraso na chegada de chuva, significava que Perun ainda não havia derrotado Veles.



A Adoração de Perun 


Para os eslavos, Perun era certamente um deus poderoso que invocava muitas estátuas honrando seu nome. Na verdade, as estátuas de Perun feitas de árvores de carvalho ou de pedra eram bastante comuns na cultura eslava pré-cristã. O carvalho parece ter sido a forma mais proeminente na qual as estátuas de Perun eram esculpidas. Na verdade, muitas aldeias eslavas esculpiam uma imagem de Perun no carvalho mais proeminente que estivesse nas proximidades, onde festivais eram frequentemente realizados

Muitos santuários ainda existem hoje localizados nos sopés e nos topos de montanhas ou em bosques sagrados de carvalhos antigos. Onde quer que houvesse um lugar geral para culto, imagens de Perun podiam ser encontradas. Muitas vezes, sacrifícios animais também eram realizados em oferendas para Perun. Além do carvalho, o dia de quinta-feira e o estanho também foram associados com Perun.



A Chegada do Cristianismo

Após a chegada do cristianismo em terras eslavas, o papel do Perun foi tomado por São Elias. Mesmo assim, Perun e as histórias sobre ele permaneceram na tradição popular, porém a maioria delas passou a ter São Elias como personagem principal. Para os eslavos que viviam na parte ocidental da Europa, São Miguel Arcanjo atuava como um substituto adequado para Perun, como comandante dos exércitos celestiais que conquistou e derrotou o Diabo. 

A Igreja satanizou a figura de Perun (e de outros deuses também) provavelmente por causa de seu forte culto e influência na vida dos eslavos. E ao substituí-lo por outra divindade,mas mantendo seus atributos, muitas das grandes igrejas cristãs foram capazes de converter os eslavos a sua fé. 


Arte de Dusan Bozic
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby