30 de janeiro de 2019

Fulad-zereh

 ۞ ADM Sleipnir



Fulad-zereh (em persa: فولادزره, literalmente "possuindo armadura de aço") é um hediondo demônio presente no popular épico persa Amir ArsalanDescrito como um enorme Ifrit dotado de chifres afiados, Fulad-zereh possuía um grande poder físico e mágico, além da capacidade de voar. Ele possuía uma forte atração por belas mulheres, e quando avistava uma durante seus passeios aéreos, à sequestrava e depois tentava seduzi-la. Aquelas que resistiam a suas investidas eram entregues para sua mãe, uma poderosa bruxa, que as usavam como sacrifícios em seus rituais.

De acordo com a lenda, Fulad-zereh nem sempre foi um demônio. No passado ele foi o general-chefe de Malek Ḵhazen, o rei das fadas e governante de Zahrgiah. No entanto, logo após a morte de seu mestre, Fulad-zereh, que havia se apaixonado pela rainha, usurpou o trono e, com a ajuda de sua mãe, magicamente transformou o herdeiro legítimo e muitos de seus assistentes em uma fortaleza de pedra apropriadamente chamada Qalʿa-ye sang.

Mas Zahrgiah era uma terra de forças mágicas e sobrenaturais pulsando como uma corrente por todo o mundo. Através de seus vales verdejantes, rios de prata e florestas densas com tapetes de musgo macio, um fio dourado de magia amarrava tudo e todos juntos. Uma terra repleta de vida de todas as cores e matizes, boas e ruins, grandes e pequenas. A força que flui através de todos os seres vivos reagiu à grande perturbação causada pela traição de Fulad-zereh. O outrora sangue de fada que percorria as veias de Fulad-zereh tornou-se negro e o elixir dourado da imortalidade que entrelaçava suas veias se corrompeu, transformando Fulad-zereh em um demônio, caçado por elfos e fadas, e desprezado por toda a criação. 

Arte de shaoda ju
A bruxa mãe de Fulad-zereh rapidamente encantou o corpo do mesmo, tornando sua pele escamosa em ferro. Desta forma, ele se tornou impossível de ser morto por quaisquer tipo de armas. Muitos dos maiores guerreiros élficos pereceram em suas tentativas de matar Fulad-zereh. 

Havia somente uma arma que podia sobrepujar a invulnerabilidade de Fulad-zereh. Era uma espada chamada Shamshir-e Zomorrodnegar, originalmente pertencente ao rei Salomão. Mas para o azar de seus inimigos, a mesma era guardada pelo próprio Fulad-zereh. Uma ferida infligida por esta espada só poderia ser tratada por uma poção especial feita a partir de uma série de ingredientes, incluindo o cérebro de Fulad-zereh. 

Uma profecia revelou a mãe de Fulad-zereh que ele seria morto por um herói chamado Arsalan. Na tentativa de tentar acabar com ele, Fulad-zereh raptou sua amada, Farrok, e atraiu Arsalan para Zahrgiah, que era seu domínio e onde seu poder era absoluto. 

No final, no entanto, tanto Fulad-zereh quanto sua mãe foram mortos por Arsalan, que conseguiu tomar posse da espada mágica e com ela pôs fim ao reino de terror do demônio. Arsalan ateou fogo aos seus cadáveres, e após misturar suas cinzas com água, pulverizou a fortaleza de pedra, ressuscitando as pessoas outrora petrificadas pelo demônio.



fontes:

Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

28 de janeiro de 2019

Bifrons

۞ ADM Sleipnir


Arte de boolahaha
Bifrons (também Bifröus ou Bifrovs) é, de acordo com a demonologia, um conde do inferno e  possui seis (ou vinte e seis segundo outros autores) legiões de demônios sob o seu comando. De acordo com a Goetia, ele é o 46º dentre os 72 espíritos de Salomão. Bifrons foi também um dos nomes dados a Baphomet, alegadamente adorado pelos Cavaleiros Templários, que era geralmente representado em estátuas com duas cabeças ou faces, certamente inspirado no deus romano Jano.

Quando invocado, Bifrons aparece na forma de um monstro, mudando para uma forma mais humana caso seja solicitado por seu invocador. 


Arte de Giulia (Atlantisvampir)
A especialidade de Bifrons é instruir os homens em todas as ciências e artes,em especial a geometria e a astronomia, além de passar conhecimento sobre pedras preciosas, ervas e madeiras. Ele também domina a necromancia, sendo capaz de transportar corpos magicamente de um local para outro, além de coagir os espíritos dos mortos a lhe ajudar ou lhe responder alguns questionamentos.

Selo de Bifrons


Cultura popular


Assim como outros espíritos goetianos, Bifrons aparece nas franquia de jogos Shin Megami Tensei. Ele também aparece em Final Fantasy XI online e em Castlevania: Symphony of the Night.

No anime Shakugan no Shana, Bifrons é representado com um corpo semelhante a uma chaminé, com patas de inseto e uma cabeça em chamas que lembra uma máquina de tortura.


Bifrons também aparece no anime Devil Survivor 2 The Animation. 

Bifrons em Devil Survivor 2 The Animation
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

25 de janeiro de 2019

Íxion

۞ ADM Sleipnir



Íxion foi um impiedoso rei dos Lápidas, um povo que habitava a Tessália, próximo aos montes Pélios e Ossa. Ao lado de Sísifo e Tântalo, é considerado um dos três maiores vilões da mitologia grega, sendo ele incontestavelmente o pior dos três. Entre seus crimes, estão a tentativa de violar a deusa Hera e o assassinato de seu sogro. Talvez sua natureza seja explicada pelo seu parentesco. Algumas fontes trazem o deus Ares como seu pai, enquanto outras atribuem sua paternidade a  Flégias, filho de Ares, o que torna o deus da guerra seu avô.

Íxion e Eioneu

Eioneu (ou Dioneu) foi outro rei da região da Tessália, e tinha uma bela filha chamada Dia, por quem Íxion se apaixonou. Em troca da mão de Dia, Íxion prometeu dar seus cavalos a Eioneu, que prontamente aceitou a oferta. Porém, após o casamento, Íxion recusou-se a entregar seus cavalos ao sogro. Ao invés disso, preparou uma cilada para matá-lo.

Íxion convidou o sogro para um banquete em seu palácio, e ao chegar, Eioneu foi convidado a aguardar em uma sala, onde havia um buraco camuflado no chão. Ao entrar no local, Eioneu acabou caindo no buraco, o qual Íxion tratou de atear fogo e incinerar o sogro. Este foi o primeiro assassinato entre familiares da mitologia grega.

O Banquete com os deuses 

Sentindo um profundo remorso, Íxion ficou louco e passou a perambular pelo mundo como um mendigo. Um oráculo previu que a única maneira dele recobrar a sanidade seria submetendo-se a uma purificação para a expiação do seu crime, porém ninguém conhecia o ritual próprio para aquele caso, pois nunca antes alguém havia assassinado um membro de sua própria família. 

Por razões desconhecidas, Zeus teve piedade de Íxion e ele próprio restituiu-lhe a sanidade, além de o convidar a partilhar do banquete dos deuses. Íxion estava muito feliz em ser um convidado dos deuses, mas sendo uma pessoa completamente ruim, logo colocaria tudo a perder.

Durante o banquete, Íxion ficou fascinado com a deusa Hera, e logo desejou em seu coração tomá-la como mulher. Após se embriagar com o néctar divino, Íxion passou a assediar Hera insistentemente. Percebendo as más intenções de seu convidado, Zeus preparou uma armadilha e criou uma cópia de sua esposa a partir de uma nuvem, dando-lhe o nome de Néfele. Ao deixar a réplica sozinha, Íxion a seduziu e se deitou com ela, e dessa união nasceu a raça dos centauros. Todos os centauros eram descendentes de Íxion, exceto Quíron e Folo

Íxion e Néfele, pintura de Peter Paul Rubens

O Castigo de Íxion

Apesar de tudo que Íxion havia feito, Zeus parecia ter o perdoado. Porém, Íxion trataria de por tudo a perder mais uma vez. Íxion deixou o Olimpo e retornou a Terra acreditando que realmente havia seduzido a esposa de Zeus. De volta entre os mortais, Íxion contou a todos que ele havia se deitado com a deusa Hera. Este último ato de Íxion provocou enfim a fúria de Zeus, que o fulminou com um de seus raios e depois o lançou  no Tártaro, onde foi preso a uma roda em chamas e condenado a nela girar pela eternidade.

Para completar sua vingança, Zeus posteriormente se uniu a Dia, amada de Íxion, que veio a dar luz a Pirítoo, que se tornaria futuramente rei dos Lápitas.


fontes:
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

23 de janeiro de 2019

Borr

۞ ADM Sleipnir



Borr (também Bor, BörBurr ou Bur"filho" em nórdico antigo) é um dos primeiros deuses da mitologia nórdica. Filho de Buri, o deus surgido do gelo lambido por três dias pela vaca primordial Audumbla, Borr uniu-se a giganta Bestla e com ela, foi pai dos deuses Odin, Vili e Ve

Borr é mencionado no Gylfaginning, primeira parte da Edda em prosa de Snorri Sturluson, e também no Völuspá, primeiro poema da Edda Poética. Fora essas menções, praticamente nada se sabe sobre esse deus. Muitos mitólogos dizem que ele era um deus na forma de um humano, outros o descrevem como um gigante. 

Na cultura popular, Borr aparece como personagem nas histórias em quadrinhos da Marvel, como avô de Thor Odinson. Manipulado por Loki, Borr enfrenta o deus do trovão em uma batalha cataclísmica onde o mesmo acaba sendo morto. Borr também aparece no início do filme Thor: O Mundo Sombrio, onde derrota o vilão Malekith durante a primeira batalha de Svartalfheim.

Borr em sua versão HQ e em sua versão cinemática.

Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

15 de janeiro de 2019

Marool

۞ ADM Sleipnir



Marool é uma monstruosa e maligna criatura dita residir nas águas ao redor das Ilhas Shetland, na Escócia. Ela é descrita como sendo semelhante a um enorme peixe com uma barbatana flamejante e inúmeros olhos em sua cabeça.

Ela é dita aparecer durante o fenômeno chamado "mareel", que faz com que as águas do mar fiquem com uma coloração fosforescente. Durante tempestades, dizem que a criatura pode ser ouvida cantando de forma triunfante, enquanto os navios são virados no mar. 


fonte:
  • Encyclopedia of Beasts and Monsters in Myth, Legend and Folklore, de Theresa Bane
  • Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!
    Ruby