2 de outubro de 2015

Begorotire, o Senhor da Chuva

 ۞ ADM Sleipnir


Begorotire, arte de Laura Sardinha
Begorotire é um deus da chuva, dos grãos e da abundância da tribo Caiapó. De acordo com a lenda, ele era um índio da tribo que certo dia decidiu ir embora de sua aldeia e buscar um novo local para viver, após se sentir injustiçado com a divisão de uma caça. Ele cortou o cabelo da esposa e da filha, pintou toda a família com uma tinta preta feita com jenipapo e criou a primeira borduna Caiapó (um tipo de porrete). Levando toda sua família, Begorotire subiu no topo de uma montanha, e com sua raiva, começou a gritar, levantando sua borduna. Seus gritos foram tão intensos que soaram como trovões, da ponta de sua arma irromperam raios.

Em meio ao barulho e às luzes, Begorotire subiu aos céus. Os índios assustados atiraram suas flechas, mas nada conseguiu impedir que o índio desaparecesse no firmamento. As nuvens, também assustadas, derramaram chuva. Por isso Begorotire tornou-se o homem chuva. Tempos depois, levou toda a família para o céu, onde se tornaram muito prósperos, tendo extensas e ricas plantações de vários tipos. Apesar de ter deixado sua tribo, ele não os abandona de fato, enviando uma de suas filhas dentro de uma cabaça, para levar novas sementes aos Caiapó. 


A filha do Senhor da Chuva é encontrada por um jovem, que a tira de dentro da cabaça, magra e com os cabelos muito longos, pelo extenso tempo que ficou presa, e a leva de volta à aldeia. A donzela entrega as sementes enviadas pelo pai e se casa com o jovem que a encontrou, passando a viver na terra. Algum tempo depois, a filha do Senhor da Chuva vai visitar seus pais e retorna trazendo toda a família de volta à tribo. Begorotire traz vários cestos cheios de bananas e diversas frutas silvestres e ensina a todos como cultivar as sementes e e cuidar das plantações.


fontes:
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

Um comentário:

  1. Gostaria que falassem sobre a Mitologia dos índios karibe, e mais sobre a Kaiapo.

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby