16 de abril de 2015

Meretseger

۞ ADM Sleipnir


Meretseger (Mertseger, Merseger, Mereseger) era a deusa guardiã da necrópole de Tebas (Waset, no 4º Nomo do Alto Egito) e também uma protetora dos mortos. Seu nome significa "aquela que ama o silêncio" ou "amada pelo silêncio"Acreditava-se que ela habitava uma montanha com forma de pirâmide perto de Deir el-Medina, a aldeia onde habitavam os homens que construíram os túmulos reais durante o Império Novo. Por esta razão era também denominada pelos habitantes de Deir el-Medina como "Dehenet Imentet", que significa "Montanha do Oeste".

Iconografia

Ela era geralmente representada como uma serpente ou uma serpente com a cabeça de uma mulher, embora, as vezes, ela fosse representada como uma mulher com cabeça de serpente, ou numa forma ainda mais incomum, uma serpente com três cabeças (uma de mulher, uma de cobra e uma de abutre).


Características

Meretseger era adorada como uma divindade protetora, mas também era muito temida. Ela atacava qualquer um que tentava violar os túmulos, bem como os trabalhadores que mentiam ou tentavam roubar tesouros ali enterrados. Pensava-se que ela poderia causar cegueira imediata ou infligir uma mordida de cobra ou escorpião no culpado. No entanto, ela era uma deusa misericordiosa, e curava qualquer um que se arrependesse e prometesse expiar suas ações. Uma série de estelas votivas em sua honra parecem indicar isso. Em algumas dessas peças estão inscritos pedidos de cura e de perdão pelos pecados cometidos. Um artesão, por exemplo, tendo ofendido a deusa, ficou enfermo. Expressando sua religiosidade, humildemente reconhece a grande misericórdia da deusa e afirma:
"Eu era um homem ignorante e sem coração, não sabendo distinguir o bem do mal; na verdade eu pequei contra o Cume, e ele me puniu. Noite e dia eu estive em seu poder. Eu supliquei à brisa, mas ela não veio... Eu implorei a esta soberana, e ela veio a mim com uma brisa agradável; ela se mostrou misericordiosa depois de me ter feito conhecer seu poder; ela me deu seus favores; ela me fez esquecer meu mau e a brisa voltou. Certamente o Cume do Oeste é indulgente para aquele que lhe implora..."
Outra estela erguida por um empregado da necrópole chamado Nefer-abu conta como esse insensato cometeu uma transgressão contra o Cume e foi por isso severamente punido. Mas como a deusa às vezes usava de clemência, ele foi finalmente perdoado e então, em advertência aos demais possíveis pecadores, escreveu:

"Guardai isto que direi para grandes e pequenos entre os trabalhadores: cuidado com o Cume! Pois há um leão no interior do Cume, e é como um leão selvagem que ele ataca e persegue todo aquele que lhe desobedece."
Essas noções de "pecado" e "arrependimento" não eram comuns no Egito Antigo. Os egípcios acreditavam em Ma'at (saldo ou ordem) e no caos em vez do "bem" e "mal" e nenhuma outra divindade recompensava expiação e punia pecadores da forma como Meretseger fazia.

Culto

Seu culto era popular em Tebas e Deir el Medina (a aldeia dos operários perto do Vale dos Reis) durante o Império Novo, e um pequeno templo dedicado a ela e ao deus Ptah foi construído por perto. No entanto, ela era tão intimamente associada com a necrópole de Tebas que seu culto nunca foi estabelecido em outros lugares. Quando a necrópole real foi abandonada durante a 21ª Dinastia, seu culto entrou em decadência e Meretseger caiu no esquecimento.



Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby