3 de abril de 2015

Geb

۞ ADM Sleipnir

Geb (também conhecido como Seb, Keb, Kebb ou Gebb) era o deus egípcio da terra e um dos membros da Enéade de Heliópolis. Era filho de Shu (o deus do ar) e Tefnut (a deusa da umidade), e portanto, neto de Atum-Rá. Sua irmã e consorte era Nut (a deusa do céu), e com ela foi pai de Osíris, Isis, Seth, Néftis e Hórus, o VelhoGeb foi o terceiro faraó divino, reinando depois de seu pai, Shu, e antes de Osíris. Ele também apoiou a ascensão de Hórus ao trono após a morte de Osíris. Como os egípcios acreditavam que o faraó era a imagem viva de Hórus, o faraó era às vezes chamado de "herdeiro de Geb".

Representações

Geb era geralmente descrito como um homem barbado, usando ou um ganso ou a  coroa atef sobre a cabeça. Ele também podia ser retratado simplesmente como um ganso, palavra cuja grafia em egípcio também era Geb, e essa ave era seu símbolo, seu animal sagrado e fazia parte da grafia de seu nome em hieróglifos. 

Quando representado em forma de um homem, ele é geralmente representado prostrado (como uma personificação da Terra) e, por vezes, com a pele na cor verde, com plantas brotando em seu corpo. Como personificação da terra, Geb é muitas vezes representado deitado no solo abaixo de Nut, a personificação do céu, muitas vezes descrito de bruços e com o falo ereto apontando para o corpo dela. Ele inclina-se sobre um dos cotovelos e com um joelho dobrado em direção ao céu, simbolizando as montanhas e vales da terra. As montanhas, a propósito, eram consideradas como sendo os ossos da divindade, ou então o resultado dos seus esforços infrutíferos de unir-se à deusa Nut.


Culto

É desconhecido o local onde seu culto surgiu. Acredita-se que tenha se originado em Iunu (Heliópolis), durante o período pré-dinástico, mas num momento posterior à adoração de Aker (outro deus egípcio da terra). Parece que Geb foi amplamente venerado como um ganso, seu animal sagrado, durante o período pré-dinástico. Edfu (Apollinopolis Magna) foi chamado de "Aat de Geb," e Dendera também era conhecida como "A Casa dos filhos de Geb". Seu principal centro de culto parece ter sido mesmo Heliópolis, onde segundo a lenda ele e sua consorte Nut produziram o Grande Ovo, do qual se originou o deus-Sol na forma de um pássaro conhecido pelos egípcios como Benu e pelos gregos como Fênix. Geb recebeu o epíteto de "O Grande Cacarejador" por causa do barulho que fazia enquanto colocava o ovo.

Atributos

Além de deus da terra, Geb era relacionado à fertilidade e a agricultura. Acreditava-se também que ele era o deus que supria aos homens os minerais e pedras preciosas, sendo considerado por isso o deus das minas.

Com o tempo, Geb veio a se tornar uma divindade dos mortos. Ele aparece no Livro dos Mortos como um dos deuses que assistem à pesagem do coração do defunto no Saguão das Duas Verdades. A pessoa com integridade moral, conhecedora das palavras mágicas necessárias, seria capaz de se evadir da terra e Geb as guiava para o céu e dava-lhes alimento e bebidas. Os maus, entretanto, seriam presas fáceis de Geb, que, então, aprisionava o morto em seu próprio corpo — a terra. Assim como a deusa Nut era representada frequentemente na tampa dos ataúdes, Geb era representado em sua base, de maneira que o defunto ficava enclausurado entre as duas divindades.

Mitologia


De acordo com o mito da criação, Geb e Nut se apaixonaram tão profundamente que não conseguiam ficar afastados um do outro. Os dois acabaram unindo-se num abraço perpétuo, e sua união causou sérios problemas para Rá. Como o espaço entre o céu e a terra tornou-se bastante estreito, tornou-se quase impossível para Rá realizar seu trajeto diário pelo céu. Furioso, Rá ordenou que Shu, seu filho e pai do casal, os separasse. Shu se colocou entre Geb e Nut, suspendendo Nut em direção aos céus, e mantendo Geb em seu lugar, evitando assim que os dois se unissem novamente.

No entanto, Nut já estava grávida de Geb, e posteriormente veio dar à luz a Osíris, Hórus, o Velho, Seth, Ísis e Néftis. O parto quase não foi possível pois Rá ainda guardava rancor das ações do casal, mas com a ajuda de Toth, Nut conseguiu dar a luz aos filhos de Geb.

Geb ainda desejava sua irmã, e, impedido de unir-se a ela, caiu em prantos e suas lágrimas formaram os oceanos do mundo.



Após tudo isso, Geb veio a se apaixonar por sua própria mãe, Tefnut. Na época, Shu reinava como faraó sucessor de Rá, e vinha de um longo combate contra os seguidores da serpente Apep, de forma que estava enfraquecido. Para recuperar suas forças, Shu ascendeu aos céus, e nesse espaço de tempo Geb procurou sua mãe e a estuprou. Em seguida, ele desejou tomar o lugar do pai como faraó, mas assim que ele estendeu suas mãos para pegar sua coroa, o uraeus ( a cobra que representa o olho de Rá e que adorna a coroa real) o atacou, ferindo-o severamente. Foi só com a aplicação de uma mecha de cabelo de Rá que Geb pode ser salvo. Apesar de seu crime hediondo, Geb acabou sendo perdoado, e veio a se tornar o legítimo sucessor de Shu como faraó.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

2 comentários:

  1. uma coisa interessante, representar o céu como uma deusa e a terra como um deus não era comum na época

    ResponderExcluir
  2. Oi gente! Muito bacana a pesquisa! Seria possível identicar as ilustrações e os respectivos criadores/artistas?
    Agradecida!

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby