20 de agosto de 2014

Bannik

 ۞ ADM Sleipnir


Bannik é um espírito familiar da mitologia eslava, geralmente retratado como um homem velho com uma cabeça grande. Ele habita em lugares conhecidos como Banya. Uma Banya é uma espécie de casa de banhos ou sauna, e era o lugar onde no muitas vezes as mulheres davam à luz no passado. Também era um local utilizado por bruxas para a prática de adivinhação. 

A terceira (ou às vezes a quarta) sessão de banhos numa Banya era sempre reservada para o Bannik. Conta-se que ele convidava demônios e outros espíritos para tomarem banho com ele durante essa sessão, e por isso o local não podia ter crucifixos ou outros símbolos cristãos, de forma que não ofendessem o Bannik e seus convidados. Se fossem perturbados, o Bannik tinha a tendência de jogar água fervendo sobre as pessoas, sufocá-las com o vapor ou matá-las através de estrangulamento. Os camponeses tinham o costume de agradecer ao Bannik ao sair da Banya. Eles também faziam oferendas de sabão, água quente e ramos de abeto. 


Bannik também era conhecido por espiar jovens donzelas enquanto se despiam e também por roubar os recém-nascidos que ainda não tinham sido batizados (este conceito, obviamente, surgiu quando o cristianismo começou a se estabelecer na Rússia). Quando uma criança nascia no local, a mãe e o bebê eram cuidadosamente observados para impedir que o Bannik raptasse o bebê. Os camponeses também evitavam tomar banho sozinhos ou à noite, temendo serem atacados por ele.

Como a maioria dos espíritos domésticos, o Bannik é capaz de prever o futuro. Durante a temporada natalina, as jovens moças se reuniam na Banya para consultar o Bannik sobre o ano novo, permitindo-lhe tocá-las as costas. Um toque macio e quente predizia felicidade; já um arranhão era um aviso de má sorte. 



Apoie nosso trabalho! Deixe um comentário, dê sugestões, elogie, critique. Mantenha o blog vivo. Siga-nos também no instagram @portaldosmitos

3 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar. Criatura interessante apesar de achar algumas criaturas mitológicas meio inúteis.

    P de Paranoia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho ele inútil, imagine você numa casa de banhou e se deparando com essa coisa, acho que alguém que pode lhe sufocar com vapor e água quente não é inútil, e mitos são mitos, não nasceram para serem "uteis"

      Excluir



Seu comentário é muito importante, e muito bem vindo. Porém pedimos que evitem:

1)Xingamentos ou ofensas gratuitas;
2)Comentários racistas, homofóbicos, xenófobos e similares;
3)Spam de conteúdo e divulgações não autorizadas;
4)Publicar referências e links para conteúdo pornográfico;
5)Desrespeitar gratuitamente o autor da postagem ou outro visitante. Mantenha a polidez;
6)Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby