1 de junho de 2013

A Titanomaquia

۞ ADM Sleipnir



A Titanomaquia (ou Guerra de Titãs) foi uma batalha que durou 10 anos, travada entre os Titãs (liderados pelo tirano Cronos) e os Deuses Olímpicos (liderados por Zeus).

Prólogo


Urano, o Céu e Gaia, a Terra tiveram 12 filhos, 6 mulheres e 6 homens - os chamados Titãs. Urano tinha medo de que algum de seus filhos tentasse roubar seu trono, e então ele colocava seus filhos de volta no útero de Gaia, de forma a impedir que isso acontecesse. Gaia então persuadiu seus filhos a se revoltarem contra o pai. No momento em que Urano estava copulando com Gaia, seu filho Cronos se libertou, e utilizando-se de uma foice, ele cortou as genitálias do pai. O sangue de Urano ao cair na Terra gerou os mares, as montanhas e as florestas. Depois que Cronos derrubou seu pai Urano, ele libertou os seus irmãos titãs e então eles passaram a governar o universo, com Cronos liderando-os. 

Cada um dos Titãs homens juntou-se com uma de suas irmãs para produzir filhos. Cronos se casou com sua irmã Réia, mas seus pais lhe profetizaram que ele seria derrotado um de seus próprios filhos. Para impedir o cumprimento dessa profecia, ele engoliu cada um de seus filhos ( Héstia, Deméter, Hera, Hades e Poseidon) assim que eles nasceram de Réia. Por serem imortais, isso não os matou, mas eles permaneceram presos dentro dele.



Réia ficou entristecida pela perda de seus filhos. Assim, quando ela estava perto de dar à luz a Zeus, ela consultou seu pais Gaia e Urano. Eles revelaram o futuro para ela, mostrando-lhe como impedir Cronos. Primeiro, Réia foi para a ilha de Creta, para dar à luz seu filho. Quando ele nasceu, o seu choro foi abafado pelos Kouretes, servos de sua mãe. Ele foi escondido em uma caverna e supostamente foi nutrido por uma cabra chamada Amaltéia, embora em algumas versões Amaltéia seja o dono da cabra. O chifre desta cabra pode ter sido o famoso corno da abundância (ou Cornucópia).

Quando Cronos veio a Réia para pegar o seu filho recém nascido, ela deu-lhe uma pedra envolta em um pano, no lugar. Sem perceber, Cronos engoliu a pedra em seu lugar.

O bebê Zeus cresceu rapidamente - a Teogonia de Hesíodo diz que levou apenas um ano - e nesse período, Zeus se preparou para desafiar seu pai. Valendo-se de sua força e dos conselhos de Gaia, Zeus foi capaz de forçar Cronos a vomitar primeiro a pedra, e, em seguida, todos os seus irmãos, um por um. Em outra versão, de acordo com os Apolodoros, a titânide Métis enganou Cronos fazendo-o engolir um emético que o fez vomitar seus filhos.

A Titanomaquia



O que aconteceu imediatamente após Cronos regurgitar seus filhos não é claro, mas a guerra entre os deuses e os Titãs começou em seguida. Infelizmente, o poema épico de mesmo nome, que nos teria dito muito, está perdido. O primeiro relato completo que temos é em Apolodoro (que provavelmente foi escrito no século 1 dC).

Alguns dos filhos dos outros Titãs - como Atlas e Menoécio, filhos de Jápeto - lutaram ao lado de seus antepassados. Outros - incluindo os outros filhos de Jápeto, Prometeu e Epimeteu - não.

A guerra foi travada sem sucesso em ambos os lados durante dez anos (um período tradicional para uma longa guerra, note que a Guerra de Tróia também durou dez anos), com os deuses com base no Monte Olimpo, e os Titãs no Monte Ótris. Estas duas montanhas ladeiam a área do norte da Grécia chamada Tessália, estando o Olimpo ao norte, e Ótris ao sul.


Uma vez que ambos os lados desta guerra eram imortais, baixas permanentes não eram possíveis. Finalmente, entretanto, os deuses triunfaram com o auxílio de forças mais antigas.

Urano havia aprisionado há muito tempo alguns de seus filhos, os três Ciclopes e os três Hecatônquiros (conhecidos como "Os Cem Mãos") no sombrio Tártaro. Mais uma vez aconselhado por Gaia, Zeus libertou os primos monstruosos dos Titãs e foi recompensado com a sua poderosa ajuda. Os ciclopes deram relâmpagos e trovões para Zeus empunhar como armas, e mais tarde também criaram o capacete de escuridão de Hades e o tridente de Poseidon.



Hesíodo descreve batalha da seguinte forma: "Parecia, ouvindo e vendo tão grande bulha e luz, que a terra e o céu se confundiam, pois era enorme o tumulto da terra esmagada e do céu a se precipitar sobre ela, tal o barulho da luta dos deuses. Ao mesmo tempo, os ventos, sacudindo-se, erguiam o pó, o trovão, o relâmpago, e o raio ardente, armas do grande Zeus, e levavam o brado e os clamores ao seio dos combatentes; e no incessante fragor da espantosa luta, todos mostravam a força dos seus braços."

Os Hecatônquiros prestaram uma assistência mais direta. Na batalha final, eles mantiveram os Titãs sob uma barragem constante de centenas de pedras atiradas, que juntamente com os poderes dos outros deuses, principalmente os raios de Zeus, superaram os Titãs. 



Após a vitória, os filhos de Cronos partilharam entre si os domínios: Zeus ficou com o céu, Poseidon com o mar e Hades com o mundo subterrâneo. Zeus, o mais poderoso dos três, instalou-se no Monte Olimpo e se tornou o soberano dos deuses. A seguir, pôs-se a organizar o mundo, atribuindo aos deuses das diversas gerações honras e prerrogativas, conforme as "promessas de campanha".Os Titãs derrotados foram levados até Tártaro e aprisionados, e os Hecatônquiros tornaram-se seus carcereiros.No entanto, em outro lugar em sua Teogonia, e em outros poemas, vemos que, de fato, muitos dos Titãs não ficaram lá.

Os filhos de Jápeto tiveram variados destinos - Menoécio assim como seu pai foi banido para o Tártaro (ou fulminado por um raio de Zeus em outras versões. Atlas foi condenado a sustentar para sempre a abóbada celeste. Prometeu posteriormente se tornou o criador da humanidade, e foi punido por Zeus após roubar o fogo dos deuses e dá-lo aos humanos. Epitemeu foi o criador dos animais.

Muitas das Titânides ou filhas dos Titãs - como Têmis, Mnemosine, Métis - , não foram aprisionadas ( talvez elas não tenham participado dos combates). Elas foram incorporadas ao panteão grego e foram mães de muitas sub-divindades.

O titã Oceano também foi incorporado ao panteão grego. Ele se manteve afastado do conflito, inclusive teria se recusado a se unir a Cronos na revolta contra seu pai Urano.

O registro mitológico é omisso sobre a maioria do resto dos Titãs, mas um mito posterior relata que o próprio Cronos foi posteriormente solto por Zeus, e ele foi designado para governar sobre as Ilhas dos Bem-aventurados, onde os espíritos dos heróis repousavam após a morte.

Mesmo após tudo isso, Zeus ainda não podia declarar o deus supremo, porque Gaia não concordou com as punições aplicadas aos seus filhos titãs, e por isso teve que enfrentar os gigantes enviados por ela, no episódio conhecido como Gigantomaquia.

BÔNUS: Vídeo retirado do jogo God of War II, que retrata fantásticamente a Titanomaquia.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

3 comentários:

  1. Muito bom sua postagem!!!

    ResponderExcluir
  2. muito legal, parabéns!

    não consegui abrir o link do God of war

    valeu!

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby