Image Map

3 de dezembro de 2021

Ootakemaru

۞ ADM Sleipnir

Arte de Javier Bahamonde

Ootakemaru (ou Ōtakemarujaponês 大嶽丸 ou おおたけまる, "grande pico da montanha") é no folclore japonês o nome de um poderoso e violento oni (demônio yokai) dito ter habitado as montanhas Suzuka, na fronteira entre as províncias de Ise e Ōmi, durante o reinado do imperador Kanmu (781 a 806). Embora sua lenda não seja tão conhecida nos dias de hoje, ele já foi considerado entre os mais temíveis yokais na história japonesa. 

Ao lado de Shuten dōji e Tamamo-no-mae, Ootakemaru faz parte do Nihon san dai yōkai, ou os Três Grandes Yokais do Japão (não deve ser confundido com uma classificação separada que classifica oni, tengu e kappa como Nihon san dai yōkai; ou com Nihon san dai aku yōkai, uma classificação semelhante e mais recentemente popularizada que troca Ootakemaru pelo Imperador Sutoku). Ootakemaru é ainda considerado um kijin, um ser que é tanto um demônio como uma divindade.

Arte de Loobatyr

Lenda 

Há muito tempo, Ootakemaru aterrorizou viajantes nas montanhas de Suzuka e roubou tributos destinados ao imperador em Kyōto. Em resposta aos seus atos, o imperador enviou seu xogum, Sakanoue no Tamuramaro, para exterminar Ootakemaru e por um fim na situação.

Tamuramaro reuniu um exército composto por trinta mil cavaleiros e então partiu rumo as montanhas de Suzuka. No entanto, Ootakemaru era muito poderoso e, usando seus poderes mágicos, convocou uma grande tempestade. Ele cobriu as montanhas com nuvens negras, tornando impossível para o exército de Tamuramaro enxergar qualquer coisa. Enquanto isso, fortes chuvas e ventos castigavam os cavaleiros e relâmpagos caiam como fogo sobre eles. Tamuramaro e seus cavaleiros passaram sete anos vagando pela região em busca de Ootakemaru, mas não conseguiam encontrá-lo.

Arte de Matthew Meyer

Tamuramaro encontra Suzuka Gozen

As Montanhas Suzuka eram o lar de uma tennyo ("mulher celestial") chamada Suzuka Gozen. Quando Ootakemaru a viu, ficou encantado com sua beleza e tornou-se determinado em passar uma noite em sua companhia. Para disfarçar sua aparência demoníaca, Ootakemaru assumia todas as noites a forma de um homem diferente e belo, e ia até o palácio de Suzuka Gozen buscando sua atenção, porém todas as vezes suas investidas eram negadas pela deusa. Enquanto isso Tamuramaro, frustrado por não conseguir encontrar o paradeiro de Oootakemaru após tanto tempo, orou certa noite aos deuses e budas para que estes o ajudassem em sua missão. Na mesma noite, enquanto cochilá-va, Tamuramaro acabou tendo a visão de um homem velho, o qual lhe disse: “Para derrotar Ootakemaru, você deve obter a ajuda de Suzuka Gozen”

No outro dia, Tamuramaro enviou os trinta mil cavaleiros que o acompanhavam de volta à Kyōto, e resolveu escalar sozinho as Montanhas Suzuka. Nas profundezas das montanhas, Tamuramaro acabou encontrando um palácio, onde vivia uma bela mulher que o convidou a passar a noite com ela. “Desci do céu para ajudá-lo a derrotar o demônio que assombra essas montanhas. Eu vou capturá-lo para você" - disse a mulher a Tamuramaro, e ele então percebeu ela não era ninguém menos que Suzuka Gozen.

Tamuramaro e Sukuna Gozen

Suzuka Gozen conduziu Tamuramaro pelas montanhas para mostrar a ele o castelo demoníaco de Ootakemaru. Ela também o alertou que Ootakemaru não poderia ser derrotado enquanto ele possuísse as Sanmyō no ken (Kenmyōren, Daitōren e Shōtōren: três espadas sagradas de grande poder). Para que sua vitória fosse possível, precisariam de um plano para desarmar Ootakemaru, então os dois retornaram ao palácio de Suzuka, e lá armaram uma armadilha para o oni.

À noite, Ootakemaru voltou a procurá-la disfarçado como sempre fazia, e para sua supresa, Suzuka Gozen finalmente o convidou a entrar. Já dentro do palácio, ela lhe disse: “Um guerreiro chamado Tamuramaro está vindo aqui para me matar. Por favor, me empreste suas Sanmyō no ken para que eu possa me defender”. O oni então entregou a ela as espadas Daitōren e Shōtōren para que ela pudesse se defender, mas manteve a Kenmyōren consigo.

A batalha entre Tamuramaro e Ootakemaru

Na noite seguinte, Ootakemaru retornou mais uma vez ao palácio de Suzuka Gozen, mas desta vez Tamuramaro o aguardava. Ao encontrar Tamuramaro, Ootakemaru revelou sua verdadeira forma, transformando-se em um enorme demônio com mais de dez metros de altura, e olhos que brilhavam como o sol e a lua. 

Iniciou-se então terrível combate entre os dois, e o céu e a terra tremeram com a fúria de sua batalha. Ootakemaru atacou Tamuramaro com sua espada remanescente e com uma lança, mas o xogum era um guerreiro sagrado, protegido por Kannon, o bodisatva da misericórdia, e por Bishamonten, o deus da guerra. Ootakemaru dividiu seu corpo em milhares de onis, que partiram para cima de Tamuramaro para atacá-lo. Tamuramaro por sua vez puxou de sua aljava uma flecha sagrada e disparou. A flecha se dividiu em mil flechas que por sua vez se dividiram em mais dez mil flechas e atingiram os onis em seus rostos, matando-os. Ootakemaru então tenta uma última investida feroz contra Tamuramaro, que se monstra mais rápido e corta a sua cabeça com sua espada, Sohaya.

Depois de anos, Tamuramaro retornou à Kyoto trazendo consigo a cabeça de Ootakemaru e a apresentou ao imperador, o qual ficou tão satisfeito com o xogum que concedeu-lhe a província de Iga como recompensa. Tamuramaro retornou para Iga, casou-se com Suzuka Gozen e os dois viveram felizes juntos por muitos anos.

Ootakemaru renasce

O reinado de terror de Ootakemaru, no entanto, não havia acabado. Seu espírito viajou para a Índia por um tempo e, eventualmente, voltou ao Japão e assombrou Kenmyōren. Ootakemaru foi capaz de reconstruir seu corpo e mais uma vez se tornou um kijin. Ele também reconstruiu seu inexpugnável castelo de demônios, desta vez no Monte Iwate, na província de Mutsu, e mais uma vez começou a aterrorizar o Japão.


A batalha final entre Tamuramaro e Ootakemaru

Tamuramaro e Suzuka Gozen viajaram para Mutsu para encontrar seu inimigo mais uma vez e derrotá-lo de uma vez por todas. Em um momento onde Ootakemaru estava longe de seu castelo, Tamuramaro esgueirou-se por uma porta dos fundos secreta que Suzuka Gozen havia revelado a ele durante sua primeira passagem pelo castelo demoníaco. Quando Ootakemaru voltou, Tamuramaro estava esperando por ele. Os dois travaram uma nova e feroz batalha, e mais uma vez Tamuramaro foi capaz de cortar cabeça de Ootakemaru. A cabeça do oni voou para o ar e ao cair, atingiu a cabeça de Tamuramaro, a qual ela mordeu com força. Felizmente, Tamuramaro estava usando dois capacetes, e embora a cabeça do oni tenha mordido tão forte a ponto de destruir um dos capacetes, Tamuramaro foi capaz de evitar um ferimento mortal. A cabeça de Ootakemaru foi mais uma vez levada de volta para Kyōto, onde desta vez trancada com segurança no templo budista Byōdō-in, para que Ootakemaru jamais conseguisse reunir seu corpo novamente.

Possíveis origens

Devido ao período de tempo e aos locais em que sua história se passa, além do fato de que seu principal inimigo era o xogum Sakanoue no Tamuramaro, acredita-se que Ootakemaru pode ser uma interpretação folclórica de Aterui, um chefe do povo Emishi do nordeste do Japão, que empreendeu uma campanha devastadora contra o povo Yamato. Sua lenda também serve de base para o famoso festival Nebuta Matsuri da prefeitura de Aomori, no qual grandes carros alegóricos retratando guerreiros derrotando onis desfilam pelas ruas.

Cultura Popular

Ootakemaru aparece como um boss no game Nioh 2, para PS4, PS5 e Windows. Ele também aparece aparece como um personagem de raridade SSR no game Omnyoji, para Windows, Android e iOS.

Ootakemaru no game Nioh 2


fonte:
CLIQUE NO BANNER ABAIXO PARA MAIS POSTAGENS DA SÉRIE

NÃO DEIXE O BLOG MORRER! Separe um minuto para comentar, elogiar ou criticar as publicações. Faça também sugestões. Sua interação é importante e ajuda a manter o blog ativo!

Nenhum comentário:



Seu comentário é muito importante, e muito bem vindo, porém peço que evitem:

1) Xingamentos ou ofensas gratuitas ao autor e a outros comentaristas;
2)Comentários racistas, homofóbicos, xenófobos e similares;
3)Spam de conteúdo e divulgações não autorizadas;
4)Publicar referências e links para conteúdo pornográfico;
5)Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Comentários que inflijam um desses pontos estão sujeitos a exclusão.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderei responder seus comentários de forma mais apropriada, e de brinde você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby