21 de novembro de 2016

Tane

۞ ADM Sleipnir



Tane (também chamado Tane Mahuta, Tane nui um Rangi, entre vários outros nomes) é o deus maori das florestas e dos pássaros, e um dos filhos dos deuses Rangi-nui ("Pai-céu") e Papa-tuanuku ("Mãe-terra"), que desde a criação, permaneciam unidos por meio de um abraço apertado. Tane, juntamente com seus irmãos, nasceram e viviam em meio a escuridão entre seus pais.

A separarão de seus pais 

Os filhos de Rangi e Papa cresceram frustrados em seu confinamento no espaço apertado entre seus pais. Tu, o deus da guerra, propõe que eles deveriam matar seus pais. Tane discorda de seu irmão, e sugere que seria melhor separá-los, enviando Rangi para o céu e deixando Papa abaixo para cuidar deles. Todos, exceto Tāwhirimātea, o deus das tempestades, concordaram com a idéia de TaneUm por um, os deuses tentaram separar Rangi e Papa. O primeiro a tentar foi Rongo, o deus das plantas cultivadas. Embora ele empurrasse com toda a força, ele foi incapaz de separar o casal. O próximo a tentar foi Tangaroa, o deus do mar, porém falhou como Rongo. Tentaram também Haumia, o deus das plantas e vegetais silvestres, e Tu, o deus da guerra. Por fim, era a vez de Tane tentar. Ele firmou bem os pés em Papa, encaixou os ombros no corpo de Rangi e o empurrou para cima com toda a força. Desta forma, Tane finalmente separou Papa e Rangi, e o espaço entre eles foi preenchido pela luz. 



Vendo seus pais nus e separados, Tane começou a vesti-los. Primeiro, ele pintou Rangi de vermelho, mas não gostou do resultado. Então, cobriu-o com o manto negro da noite. Para Papa, ele arranjou algumas árvores invertidas, ou seja, com as raízes para cima, mas o efeito não o agradou. Ele resolveu então fazer para a mãe um vestido, confeccionado com as folhas mais verdes e tenras e as flores mais coloridas. Um dos irmãos de Tane, Uru, não havia ganhado nenhuma função divina e chorava enrolado no manto de seu pai. Para que ninguém visse suas lágrimas, Uru as guardava em cestas. Mas Tane acompanhou a tristeza do irmão e pediu os cestos emprestados. Surpreso e com medo de ser descoberto em sua fraqueza, Uru não quis dar, mas Tane avançou e derramou uma delas no manto de seu pai. Suas lágrimas era luzes brilhantes que se tornaram as estrelas. Feliz com o ocorrido, Uru deu suas outras cestas a Tane, que as usou para criar a Via Láctea.

O Conflito entre os irmãos

Tāwhiri-mātea, que havia discordado da atitude dos irmãos, ficou furioso com a separação de seus pais. Ele se junta a seu pai no céu e castiga a terra e o mar com tempestades violentas. 



Tāwhirimātea ataca as florestas de Tane, estalando os troncos das árvores E derrubando-as. Em seguida, ele ataca os oceanos, e Tangaroa, o deus do mar, foge. Dois dos descendentes de Tangaroa, Ikatere, pai dos peixes e Tu-te-wehiwehi (ou Tu-te-wanawana), o ancestral dos répteis, ficaram aterrorizados com a fúria de Tāwhirimātea. Os peixes fugiram para o mar, e os répteis para as florestas. Desde então, Tangaroa nutre ressentimentos por Tane esconder seus filhos fugitivos. Tane passa a fornecer aos descendentes de Tu canoas, anzóis e redes para capturar os descendentes de Tangaroa. Tangaroa por sua vez revida virando canoas e enviando inundações que varrem casas, terras e árvores.

Progenitor da humanidade 

Todos os filhos de Rangi e Papa eram homens. De todos eles, Tane foi o primeiro a sentir o desejo de ter uma esposa. Como punição por ter separado seus pais a força, Papa não permitia que ele tivesse uma. Com isso, ele se acasalava com árvores e animais, gerando todo tipo de monstruosidades, como serpentes e dragões. Depois de muito tempo, Papa teve pena do filho, e deu-lhe instruções sobre como criar uma forma feminina feita com a areia da praia. Seguindo as instruções da mãe, Tane deu vida a primeira mulher, Hine-ahu-one ("Vestido criado da terra"), e então acasalou com ela. 



Eles tiveram uma filha chamada Hine-titama ("Senhora do amanhecer"). Em algumas histórias, Tane se casa com Hine-titama sem ela saber que ele é o seu pai. Ao descobrir que ela se casou com seu pai, ela foge para o submundo, e torna-se a deusa da morte, Hine-nui-te-Po. Tane a segue e pede para ela voltar. Hine-nui-te-po diz para ele voltar para o mundo e criar seus filhos, enquanto ela ira esperá-los no submundo para recebê-los quando morrerem.

Algumas lendas dizem que Tane foi o criador do primeiro homem, Tiki, a partir do barro. 


fontes:



Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby