30 de janeiro de 2013

Lindworm

۞ ADM Berserker

O Lindworm (em inglês; Lindorm em norueguês e sueco, Lindwurm em alemão; oriundo do nórdico antigo linnormr, "serpente constritora"), é um ser mítico descrito como uma serpente ou dragão em mitos nórdicos e germânicos e na heráldica anglo-saxônica, alemã e escandinava.

Na heráldica norueguesa, o lindorm é representado como uma serpente marinha (sjøormer). Na heráldica inglesa e alemã, o lindworm é representado como um dragão sem asas, com duas patas, figura que deriva de antigas representações vikings de uma longa serpente gigante com chifres e, às vezes, dois braços, que frequentemente morde a própria cauda - provavelmente uma representação da mítica Jörmungandr - que lembra o Ouroboros dos gregos e romanos.

No interior da Suécia do século XIX, ainda sobrevivia à crença no Lindworm. O folclorista sueco Gunnar Olof Hyltén-Cavallius encontrou várias pessoas em Småland que disseram tê-lo encontrado na forma de uma serpente gigante, de três a seis metros de comprimento, às vezes com uma longa crina. Reuniu cerca de 50 testemunhos e em 1884 ofereceu uma grande recompensa por quem apresentasse um espécime, vivo ou morto.

Ninguém jamais se apresentou para reivindicar a recompensa, mas a especulação sobre o lindorm continua viva em livros e sites sobre criptozoologia, bem como sobre o Tatzelwurm, suposto animal com características semelhantes que habitaria os Alpes suíços e austríacos.

Mitos e lendas

Há um mito nórdico sobre um rei chamado Herraud ou Herrauðr que dá à filha Thora Borgarhjort de presente um filhote de Lindworm, que cabe dentro de uma caixinha de joias. Entretanto, a criatura cresce tanto que acaba aprisionando a princesa dentro de seu salão, o qual a serpente circunda mordendo a própria cauda. Tomando a princesa como refém, o Lindworm exige um boi por dia.

O rei prometeu a mão da princesa àquele que a libertar e o prêmio veio a ser conquistado por um herói chamado Ragnar Lodbrok ("Ragnar das calças peludas", pois eram feitas de pele), que depois veio a ser marido de Thora e tornou-se rei da Dinamarca.

Em um conto do folclore escandinavo chamado "Príncipe Lindworm" ou "Rei Lindworm", um lindworm meio homem, meio serpente nasce como um dos gêmeos de uma rainha que, para ter filhos, seguira o conselho de uma velha feiticeira que lhe aconselhara comer duas cebolas. Ela deixou de descascar a primeira cebola, o que fez o primeiro filho nascer como lindworm.

Quando o segundo gêmeo quis se casar, o lindworm insistiu que era preciso encontrar uma noiva para ele antes que seu irmão mais novo pudesse se casar. Como nenhuma das jovens escolhidas pelo rei correspondia a seu amor, ele devorou todas as noivas que lhe trouxeram, até lhe trazerem a filha de um pastor que havia falado com a bruxa. Ela chegou vestindo todas as roupas que possuía.

O lindworm lhe disse para que as tirasse, mas ela insistiu que ele também tirasse uma pele para cada vestido que ela despisse. Por fim, ele tirou a última pele e, debaixo dela, havia um belo príncipe.

Há também uma lenda sobre um Lindworm que provocava enchentes perto da cidade de Klagenfurt, na Alemanha. O Duque ofereceu uma recompensa a quem o abatesse. Alguns jovens prenderam um touro a uma corrente, e quando o Lindworm engoliu o touro, foi fisgado como um peixe e morto. Em 1335, um crânio pré-histórico de rinoceronte peludo, encontrado em uma caverna da região, foi tomado como o crânio do Lindworm.

O dragão Fafnir, da Canção dos Nibelungos, também é descrito como um Lindworm.

NÃO DEIXE O BLOG MORRER! Separe um minuto para comentar, elogiar ou criticar as publicações. Faça também sugestões. Sua interação é importante ajuda a manter o blog ativo!

3 comentários:

  1. Puxa vida!! Chamar esse site de blog é muito despretencioso!. O PORTAL é uma verdadeira enciclopédia!!! Estou fazendo pesquisas para um exercício de tradução com dezenas de seres bizarros e a maioria encontrei (somente) aqui!!! Parabéns pelo trabalho. É um verdadeiro patrimônio!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, muito obrigado pelo elogio!!! Minha esposa vive reclamando que eu devia tirar o "blog" do banner kkk.
      Acho que vou acabar fazendo isso!

      Excluir
    2. Portal dos Mitos eh uma religião!!!

      Excluir



Seu comentário é muito importante, e muito bem vindo. Porém pedimos que evitem:

1)Xingamentos ou ofensas gratuitas;
2)Comentários racistas, homofóbicos, xenófobos e similares;
3)Spam de conteúdo e divulgações não autorizadas;
4)Publicar referências e links para conteúdo pornográfico;
5)Desrespeitar gratuitamente o autor da postagem ou outro visitante. Mantenha a polidez;
6)Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby