17 de fevereiro de 2016

Os Deuses de Game of Thrones: Parte 2

۞ ADM Sleipnir



Continuação da postagem sobre os deuses cultuados em Game of Thrones.

Grande Garanhão


O Grande Garanhão, também conhecido como Deus Cavalo é uma divindade venerada pelos Dothraki. O Deus Cavalo dothraki espelha a importância desse animal para esse povo. Se sabe pouco sobre suas leis, mas ao que parece, o estupro e a chacina são coisas comuns para essa divindade. Uma profecia conta que o garanhão que monta o mundo um dia virá para a terra e irá unir todos os khalasares em um único. 

Uma estátua em honra a ele está dentro da Casa do Preto e do Branco. Se trata de um enorme cavalo de bronze empinado em duas patas.



Grande Outro

O Grande Outro é o deus da escuridão, frio e morte na mesma fé de R'hllor. Seu verdadeiro nome nunca é dito. Ele é considerado o inimigo de R'hllor, o Senhor da Luz. Os seguidores de R'hllor acreditam que existem apenas dois deuses, R'hllor e o Grande Outro, que travam uma guerra eterna sobre o destino do mundo. Melisandre refere-se aos outros como os "filhos frios" do Grande Outro.

Grande Pastor

O Grande Pastor ou Deus Ovelha, é uma divindade cultuada pelos lhazarenos. Suas sacerdotisas alegam que ele trata todos os homens como um só rebanho.

Leão da Noite

O Leão da Noite é o deus da morte de Yi Ti. Os Homens Sem Rosto acreditam ser apenas uma das diversas representações do seu Deus de Muitas Faces. Existe uma estátua sua na Casa do Preto e Branco, em Bravos, que é comumente visitada por homens ricos. 

Ao entrar pela primeira vez na Casa do Preto e Branco, Arya Stark notou a estátua de um homem com cabeça de leão sentado em um trono, esculpida em ébano. Este é, provavelmente, o Leão da Noite. 

Mãe Roine

A Mãe Roine é a deusa chefe dos Roinares. Ela é a representação do rio Roine. Suas águas alimentaram os Roinares desde a aurora dos tempos. Acredita-se que o Velho do Rio seja seu consorte.

Os Sete (Deuses Novos)


A Fé dos Sete é a religião dominante nos Sete Reinos, e é comumente conhecida apenas como a Fé. As únicas regiões de Westeros onde a fé não é predominante são o Norte e as Ilhas de Ferro, onde o culto, respectivamente, aos deuses antigos e ao Deus Afogado continua forte. Os deuses da Fé são por vezes referidos como "deuses novos" para diferenciá-los dos deuses antigos.

A Fé cultua os Sete, uma única divindade com sete aspectos, ou faces, cada uma representando uma virtude diferente. Os devotos oram a uma face diferente dos Sete pedindo por ajuda ou orientação, dependendo de sua necessidade. As faces são:
  • Pai, ou Pai Acima, representando o julgamento. É retratado como um homem barbado carregando uma balança e é cultuado pelos que buscam justiça.
  • Mãe, ou Mãe Acima, representando a maternidade e piedade. É cultuada pelos que buscam fertilidade ou compaixão, e é retratada sorrindo amorosamente, símbolo de misericórdia e conforto.
  • Guerreiro, representando força em combate. É cultuado em busca de coragem e vitória. Carrega uma espada.
  • Donzela, representando inocência e castidade. É cultuada pelos que buscam proteger as virtudes das donzelas.
  • Ferreiro, representando os dons e o trabalho. É cultuado pelos que querem finalizar trabalhos e buscam por força. Carrega um martelo.
  • Velha, representando sabedoria. Carrega uma lanterna e é cultuada pelos que buscam orientação.
  • Estranho. Uma exceção às outras faces, o Estranho representa a morte e o desconhecido. Os fiéis raramente procuram o favor do Estranho, mas os renegados algumas vezes se associam a esse deus.


Pai das Marés

O Pai das Águas ou Pai das Marés é uma divindade cultuada na Cidade Livre de Bravos. Seu templo é reconstruído a cada vez que ele toma uma nova noiva.

R'hllor

R'hllor, também conhecido como Senhor da Luz, Coração de Fogo, ou Deus da Chama e da Sombra, é um deus de destaque em Essos, mas tem apenas alguns seguidores em Westeros, onde é mais comumente conhecido como Deus Vermelho. Seu símbolo é um coração ardente.



A religião de R’hllor é baseada em uma visão dualista do mundo: R'hllor, o deus da luz, calor e vida, e sua antítese, o Deus cujo nome não deve ser falado, o deus do gelo e da morte ou o "Grande Outro". Eles estão bloqueados em uma eterna luta com o destino do mundo, uma luta que, segundo a antiga profecia dos livros de Asshai, só vai acabar quando Azor Ahai, uma figura messiânica, retornar empunhando uma espada flamejante chamada Luminífera, a Espada Vermelha dos Heróis e com ela despertar os chamados "dragões de pedra".

Os Sacerdotes Vermelhos, como Melisandre de Asshai e Thoros de Myr, são membros do clero. Eles são assim chamados devido às vestes carmesim que usam. No leste, eles são uma visão comum, onde a fé e influência de R'hllor é mais difundida. As crianças são, por vezes, dadas aos templos de R'hllor para que sejam criadas para o sacerdócio. Os templos também compram as crianças como escravos, que são conhecidas como “Escravos de R'hllor” e cria-os como sacerdotes, prostitutas do templo, ou guerreiros. Os guerreiros que protegem os templos de R’hllor são chamados de Mão Ardente.

Todas as noites, os sacerdotes vermelhos acendem fogueiras e cantam orações em seus templos, pedindo R'hllor para trazer de volta o amanhecer. Seguidores muitas vezes olham para as chamas esperando receber visões do futuro. Acredita-se que R'hllor irá ocasionalmente responder às orações de seus seguidores através da concessão de visões e habilidades, tais como ressuscitar os mortos e controlar as sombras. Alguns ritos realizados pelos sacerdotes vermelhos, incluem sacrifício pelo fogo.



Julgamentos por combate são uma prática aceita na fé de R'hllor; orações antes do combate pedem forças à R'hllor e pedem que ele escolha o vencedor com justiça."A noite é escura e cheia de terrores", é uma frase comum em orações para R'hllor, e é mostrada no teaser da segunda temporada.

A adoração de R'hllor é uma tradição religiosa no continente Essos, mas não ganhou muita popularidade em Westeros. Esforços recentes para espalhar a fé para Westeros incluem o envio de sacerdotes vermelhos como Thoros para Porto Real, afim de que ele pudesse converter o Rei Aerys II, que era obcecado pelas chamas. Esta tentativa falhou já que Thoros não foi capaz de impressionar Aerys com sua magia de fogo.

Como outros tipos de magia, a magia do R'hllor parece ter desaparecido após a morte do último dragão Targaryen, mas com o regresso dos dragões no leste, as habilidades dos sacerdotes de R'hllor têm se fortalecido. Thoros, enquanto servia no templo de Myr, não descobriu nenhum tipo de novos poderes. No entanto, desde o retorno dos dragões, ele conseguiu ressuscitar Beric Dondarrion inúmeras vezes durante um ritual. Os poderes de Melisandre também foram aumentados desde a sua chegada à Muralha.

Atualmente existe a formação de dois novos círculos de culto em Westeros, seguindo um sacerdote vermelho de R'hllor. Thoros e Beric, juntos, fundaram a Irmandade Sem Bandeiras, uma organização criminosa ligada em parte pela sua adoração a R'hllor. Em Pedra do Dragão, Melisandre convenceu Stannis Baratheon para reivindicar o manto de Azor Ahai com sua magia de fogo. No entanto, após a morte final de Beric e a derrota de Stannis na Baía de Água Negra, a influência de Thoros e Melisandre sobre suas congregações diminuiu.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby