3 de julho de 2013

Musashi, O Legendário Samurai

۞ ADM Sleipnir


Shinmen Musashi no Kami Fujiwara no Genshi, mais conhecido como Miyamoto Musashi (1583-1645) foi o mais renomado guerreiro samurai do Japão. Conhecido como o "O Deus da espada", suas habilidades em luta de espadas foram incomparáveis ​​durante o seu tempo e são tidas como lendárias até hoje. Filho de um pobre samurai do país, Musashi resolveu, já no início de sua juventude, se tornar o melhor espadachim de todo o Japão. E ele foi mais do que bem-sucedido nessa empreitada. 

Desde tenra idade, Musashi estava inclinado para a arte da luta com espada e venceu seu primeiro duelo, quando ele tinha apenas 13 anos. O samurai chamado Arima Kihei estava passando pela cidade de Musashi. Ele anunciou que desafiava qualquer um que tivesse a coragem de vir e enfrentá-lo. Musashi respondeu a este desafio. Musashi usava na ocasião apenas uma espada de madeira como arma. O samurai puxou a sua espada curta, de navalha bem afiada. Musashi atacou-o primeiro e o samurai gingou sua espada curta em direção ao menino. Musashi abaixou e rolou em direção ao Samurai, suspendendo-o e e batendo com força sua cabeça no chão. Musashi, em seguida, rapidamente pegou sua espada de madeira e bateu no homem até a morte. Assim, com a idade de treze anos, Miyamoto Musashi foi vitorioso em seu primeiro duelo de vida ou morte, contra nada menos do que um samurai adulto profissionalmente treinado. Este evento era o prelúdio da incrível jornada de Musashi.
Ao completar quinze anos, Miyamoto Musashi deixou sua aldeia, partindo em uma peregrinação para refinar sua arte marcial e suas habilidades com espada. Ele duelou novamente com um forte samurai chamado Akiyama. A luta terminou rapidamente com a morte de Akiyama pelas mãos de Musashi. Com a idade de dezesseis anos,  Musashi já havia participado de três guerras. Ele continuou a viajar e testar suas habilidades contra vários adversários durante os próximos anos. Ele aparece em relatos históricos novamente na idade de vinte anos em Kyoto.

Ele viajou para a capital do Japão, Kyoto, para testar suas habilidades contra os melhores espadachins do país. Ele desafiou um grupo que era o mais famoso e respeitado na época, os Yoshiokas. Ele desafiou o chefe dessa escola, Seijuro Yoshioka, para um duelo que o mesmo aceitou prontamente. Musashi era um mestre da estratégia, sendo isso uma parte integrante de sua arte militar. Ele frequentemente utilizava a guerra psicológica para fazer seus inimigos perderem a compostura. Isto, combinado à sua incrível força e habilidade técnica formava uma combinação letal. Ele propositalmente chegou atrasado ao duelo. Ele deixou Yoshioka lá esperando, sabendo que isso iria enfurecer o samurai e fazê-lo ficar agitado. Afinal, Musashi tinha iniciado o duelo e agora ele estava desrespeitando o samurai, fazendo-o esperar. Musashi estava propositadamente desrespeitando ele. Musashi finalmente chegou ao local do duelo, e Yoshioka já estava muito irritado. O mesmo insultava verbalmente  a Musashi, que apenas olhou para o samurai e sorriu friamente.

Eles decidiram que iriam lutar usando espadas de madeira e dariam apenas um golpe. Relata-se que ambos os guerreiros atingiram um ao outro praticamente ao mesmo tempo. Musashi acertou um golpe devastador no ombro esquerdo de Yoshioka. Musashi não foi tocado. Yoshioka ficou inconsciente e teve que ser reanimado. Ele tornou-se aleijado e incapaz de usar seu braço esquerdo novamente. Ele teve a sorte de escapar com vida. Assim, com a idade de vinte anos, o jovem Musashi derrotou  o chefe de uma das mais prestigiadas escolas de artes marciais do Japão. Foi uma derrota devastadora para a família Yoshioka.

O clã Yoshioka não iria deixar essa vergonha impune. Denshichiro Yoshioka , irmão mais novo de Seijuro, era um samurai talentoso, e desafiou Musashi para mais um duelo. Musashi aceitou. Mais uma vez, Musashi atrasou-se para o duelo, afrontando o seu adversário. Uma vez iniciada a luta, ele rapidamente arrancou a arma de Denshichiro de sua mão e esmagou seu crânio com ela, matando-o.

A vergonha que essas derrotas trouxeram para a família Yoshioka era imensa. A cultura japonesa na época convocava-os a agir ou então perderiam sua honra. Eles teriam que matar Musashi para restaurar a honra da família. Nada menos do que a morte de Musashi seria aceitável. Eles desafiaram Musashi novamente, mas desta vez não seria um luta mano-a-mano. Eles estavam planejando uma guerra contra ele. Eles  reuniram dezenas e possivelmente centenas de seus guerreiros para emboscar e matar Musashi. Eles estavam armados até os dentes com todos os tipos de armas, incluindo arcos e rifles.

Musashi foi informado do desafio e informaram que o chefe da família era agora Matashichiro Yoshioka, um menino de doze/treze anos de idade. Esta foi a mesma idade que Musashi tinha quando ele  matou seu primeiro adversário em um duelo. Ele aceitou o desafio, mas desta vez, ele mudou de tática. Em vez de chegar atrasado ao local da batalha, chegou cedo e esperou. Ele escondeu-se na folhagem e esperou seus inimigos chegarem. Conforme seus numerosos inimigos chegavam, ele observava e esperava. Num determinado momento, ele surpreendeu o grande grupo de homens de Yoshioka, surgindo aparentemente do nada. Ele foi direto em Matashichiro e cortou-o ao meio. Ele então puxou ambas as espadas e lutou ferozmente contra o resto dos homens de Yoshioka, abrindo caminho e fazendo a sua fuga. Musashi tinha milagrosamente sobrevivido à emboscada para matá-lo.

Musashi continuou a duelar e testar suas habilidades após este incidente. Ele viajou pelo interior, constantemente se envolvendo em duelos de vida ou morte. Ele estava em busca de esclarecimento através desses duelos com outros artistas marciais. Ele arriscava sua vida, a fim de aperfeiçoar a sua arte marcial, o Niten Ichi Ryu.

Na idade de vinte e oito anos, Musashi envolveu-se em um dos mais famosos duelos da história japonesa. Ele lutou contra um samurai muito famoso e poderoso chamado Sasaki Kojiro. A luta ocorreu em uma ilha. Musashi, mais uma vez usou sua tática de chegar tarde para desequilibrar o seu adversário. Em seu caminho para o duelo pegou um remo do barco e esculpiu uma espada improvisada com ele. Seu oponente estava esperando por ele na ilha com uma longa espada afiada. Sasaki Kojiro era famoso pelo uso desta arma mortal. Musashi planejava usar uma vara de madeira para derrotar o seu oponente, mesmo seu oponente usando uma espada real e mortal.

Musashi saltou do barco e aproximou-se descalço através da água e da areia, brandindo sua espada de madeira bruta. Sasaki Kojiro, irritado, se aproximou com sua ameaçadora espada longa. Kojiro teria insultado Musashi, que apenas sorriu sem dizer nada. A raiva preencheu Kojiro, e ele atacou Musashi com o objetivo de corta-lo ao meio. Musashi atacou no mesmo instante e com sua espada de madeira bruta conseguiu acertar um duro golpe na cabeça de Kojiro. A lâmina de Kojiro chegou tão perto de cortar a cabeça de Musashi que ela cortou sua bandana. Kojiro caiu no chão imediatamente. Kojiro balançou sua espada no chão, tentando cortar Musashi, cortando apenas seu kimono. Musashi acertou mais um golpe devastador nas costelas de Kojiro, que morreu em seguida. Musashi voltou para seu barco e ajudou o remador a empurrar o barco. Ele deslizou pela água do mar e pela história.

Estátua de Miyamoto Musashi em Mimasaka, Japão


A vida de Miyamoto Musashi é muito grande para qualquer livro de história cobrir. Suas proezas são historicamente documentadas em vários lugares por todo o Japão. Os contos listados acima são alguns dos mais famosos e muitas vezes surgem versões diferentes destas histórias e os detalhes variam, como é frequentemente o caso de documentos históricos. Entre as idades de doze e vinte e sete/vinte e oito anos, Miyamoto Musashi envolveu-se em mais de sessenta duelos de vida ou morte com guerreiros profissionais de todo o Japão. Ele nunca perdeu um duelo. Os relatos escritos aqui apenas arranham a superfície do que este homem fez. Muito do que ele realmente fez se perdeu na história. Ele também esteve envolvido em pelo menos seis guerras, a maioria das quais ele foi a frente conduzindo o exército para a batalha. 

A arte militar que ele desenvolveu não era apenas sobre o combate. Como ele explica em seu livro de estratégia, o "Go Rin No Sho" (O Livro dos Cinco Elementos), alguém que domina a sua arte será capaz de aplicá-la em qualquer campo de estudo. Sua arte não tem limites nem fronteiras. Se você entender isso, tudo é possível.

Musashi foi um autodidata. Ele afirmava que nunca teve um professor em nada. Ele se tornou um especialista em numerosos campos do auto estudo. Seu nível em combate tornou-se tão eficiente que ele praticamente parou de usar espadas reais. Ele costumava pegar um pedaço de pau ou qualquer outra coisa que estava disponível para derrotar seus inimigos, que brandiam espadas reais. Ele era um especialista em todos os artigos militares.

Após a idade de vinte e nove anos, após ter derrotado Sasaki Kojiro,  Musashi decidiu não lutar mais, pois não havia quem pudesse derrotá-lo, e ele então  se recolheu numa caverna, onde dedicava seu tempo às artes, que incluíam pintura, desenhos e a literatura, escrevendo também alguns livros nos seus últimos tempos, incluíndo o "Dokuro" e o "Go Rin no Sho".

A estratégia de Miyamoto Musashi era direta e simples. Ele também era extremamente severo e austero. Até o final de sua vida ele nomeou apenas três discípulos verdadeiros. Antes de morrer, ele deu a seus discípulos uma exigência simples, mas bem séria para quem pretende ser uma parte de sua escola. Eles devem tomar este juramento: "Se eu for derrotado em combate por outra escola, vou tomar a minha própria vida." Assim, um discípulo da escola de Musashi tinha todos os motivos para lutar com toda a força, coragem e ingenuidade que pudesse reunir. Suas próprias vidas dependiam disso. Musashi não esperava menos de seus alunos. Ele não apenas pregava sobre a vida na fronteira entre vida e morte, ele realmente fazia isso.

Musashi aparenta ter sido um homem muito complexo. Ele nunca se casou e nunca se firmou em um lugar. Ele viajou basicamente toda a sua vida em busca de iluminação. Com sua reputação, ele poderia facilmente ter se estabelecido e se tornado um professor ou um homem de destaque. Ele teria feito um monte de dinheiro e viveria confortavelmente. Mas, esse não era Musashi. Ele acreditava no sacrifício total e autossuficiência. Talvez seja melhor resumiu a partir de uma declaração que ele escreveu traduzida aproximadamente como "Respeite os Deuses, mas não dependa deles".

No dia 19 de maio de 1645, Shinmen Musashi no Kami Fujiwara no Genshi morreu com a idade de sessenta e de causas naturais. Dizem que ele morreu de joelhos, segurando em suas mãos a espada que tanto ele tinha apreço. Partia assim o invencível samurai, o simbolo do bushido (caminho do guerreiro) em pessoa.





Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

5 comentários:

  1. adm vc é genial eu adoro samurai hj mesmo eu tava pensando no musashi obrigado pelo otimo trabalho

    ResponderExcluir
  2. Olá, estou passando para divulgar meu Blog, reativado e de cara nova. Beijos e obrigada.
    http://madamshadow.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Kojiro mesmo com suas habilidades insuperáveis não teve chance quando perdeu a razão

    ResponderExcluir
  4. Não temos dúvida de que tal espadachim tenha existido, mesmo sendo perceptível a mistificação que a tradição oral é capaz de difundir. O fato é que a espada conheceu um possuidor invicto. Alguém para quem a espada era um prolongamento do corpo. E mesmo que descordemos do caminho de sangue que a existência deste guerreiro representa, nos causa admiração a vitória que um impõe a tantos outros, a vitória que um homem tem sobre si mesmo.

    ResponderExcluir
  5. O mangá Vagabond é sobre a história dele, com uma arte muito boa alias. E o livro dos 5 elementos também é traduzido como o livro dos 5 anéis, acho que depende da editora, comprei e é muito interessante :D ótimo post \o/

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby