28 de fevereiro de 2014

Tau, Kerana e os Sete Monstros Lendários

۞ ADM Sleipnir


A história de Tau e Kerana faz parte da mitologia guarani, essencialmente entre as tribos habitantes do território paraguaio. Tau, o espírito do mal, se apaixonou por uma uma princesa da tribo guarani, a bela Kerana, filha de Mangaratu. Tau assumiu uma forma humana, e durante sete dias tentou conquistá-la, no entanto, Angatupyry, espírito do bem e contraparte de Tau, veio para salvar a menina. Angatupyry e Tau lutaram durante sete dias e e sete noites, até que Tau foi finalmente derrotado. Tau foi exilado, mas de alguma forma ele voltou e sequestrou Kerana e fugiu com ela. O mito deixa de mencionar como Kerana se sentia sobre tudo isso, se ela amava Tau ou era apenas uma vítima indefesa do mesmo. De qualquer forma, o casal foi amaldiçoado pela deusa Araci. Possuída pelo espírito do mal, Kerana teve sete filhos, todos eles monstros, cada um com um domínio e atributos diferentes. Esses monstros são muitas vezes quimeras, uma mistura de duas ou mais criaturas. 

Abaixo, listamos os sete monstros:

Teju Jagua (O cão-lagarto)


Arte de Light-Schizophrenia

Teju Jagua é o Senhor das Cavernas e o protetor das frutas. É um lagarto gigante com a cabeça de um cão e os olhos que lançam chamas. Algumas versões descrevem-no com sete cabeças, outras com apenas uma. Apesar de sua aparência ameaçadora, ele é basicamente benigno. Ele não pode se movimentar muito bem, talvez por causa de seu grande tamanho. Ele  alimenta de frutas e seu alimento preferido é o mel. Dizem que sua pele ficou coberta de ouro e pedras preciosas após ele rolar sob o tesouro de Itaju. 

Mboi-Tu'I (Serpente-Papagaio)


Arte de Light-Schizophrenia

Mboi-Tu'i  é o protetor dos animais aquáticos e zonas húmidas. é uma enorme serpente com a cabeça de um papagaio e um bico grande. Ele tem uma aparência terrível e um poderoso chapéu grito pode ser ouvido a grandes distâncias. Ele gosta de umidade e de flores. 

Moñai (o "n" tem a pronuncia nasal como em espanhol, " Nya ")


Arte de Light-Schizophrenia

Moñai é o senhor da terra, do ar e dos pássaros. Ele é uma enorme serpente com dentes longos e afiados e com dois chifres grandes, semelhantes a antenas. Seu domínio é o campo aberto, mas também é dito viver em rios profundos e regiões inacessíveis. Ele pode escalar árvores com facilidade e caçar pássaros, hipnotizando-os com suas antenas. Ele é chamado de Señor de los campos. Conta-se que ele gostava de roubar objetos de uma aldeia e os escondia em uma caverna. Isso criava uma grande confusão e muitas discussões entre os aldeões. Eles finalmente decidiram punir Moñai e seus irmãos pelos seus malefícios. Uma bela menina chamada Porací se ofereceu para ir até Moñai, e ao encontrá-lo, lhe disse que tinha se apaixonado por ele e queria se casar, mas antes do casamento, ela queria conhecer todos os seus irmãos. Ela foi deixada por Mõnai aos cuidados de seu irmão, o lento Teju Jagua, enquanto partiu para reunir seus irmãos. Quando todos estavam reunidos, eles realizaram uma grande festa e todos os irmãos logo ficaram bêbados. Foi então que Porací tentou fugir da caverna, mas uma grande rocha bloqueou a saída. Mõnai descobriu sua traição e a puxou de volta para a caverna. Seus gritos foram ouvidos pelos moradores que esperavam do lado de fora. Ela então ordenou que queimassem a caverna, sacrificando-se. Por seu sacrifício, os deuses a transformaram em uma estrela e colocaram-na nos céus.

Jaci Jaterê (Jasy Jatere)
De todos os filhos de Kerana, Jaci Jaterê é o que possui a aparência mais agradável. Seu nome significa literalmente "um pedaço da lua". Sua aparência é de uma pequena criança com cabelo muito leve, mesmo loiro e olhos quase azuis. Ele carrega consigo um cajado ou bengala mágica dourada, por vezes representada com uma cabeça de cobra. Ele é o Senhor da sesta (sono durante o dia, a popular soneca) e também é protetor da planta Erva-mate, um chá popular no Paraguai, assim como pássaros, frutas silvestres e animais.

Jaci Jaterê deixa a floresta durante a hora da sesta, e percorre os vilarejos à procura de crianças desobedientes que não dormem durante a sesta. Ele, que geralmente é invisível, aparece para essas crianças e as hipnotiza com sua varinha, levando-as para dentro da floresta. Existem diferentes versões da história. Em algumas, ele só brinca com elas durante a hora da sesta, e no final as leva em segurança de volta para casa. Mas em outras histórias, ele as tortura e mata ou pior, leva-as para o seu irmão devorador de homens, Ao- Ao. Nessas versões, ele é uma espécie de bogeyman (bicho papão) usado pelos pais para fazer seus filhos obedecem. Ele também é considerado o protetor dos tesouros escondidos. Se alguém lhe tomar seu cajado mágico, ele vai espernear e chorar como uma criança. Depois, se você perguntar a ele sobre o seu tesouro, receberá uma recompensa, de modo semelhante a lenda do Leprechaun

O Kurupi é um anão feio e cabeludo. Ele é semelhante a uma outra figura mítica guarani chamada Pombero. A sua característica mais distintiva é o seu pênis incrivelmente longo e preênsil. Ele é o deus da fertilidade e da reprodução. O Kurupi é dito ser responsável por impregnar as jovens enquanto eles dormem, às vezes, sem entrar na casa! Ele é frequentemente acusado de gravidezes indesejadas ou inesperadas e às vezes e também sequestrar e estuprar meninas. Por outro lado, ele é dito ajudar as pessoas a ter filhos e também é protetor dos animais selvagens e das frutas.

Ao Ao
O Ao Ao é talvez o mais perigoso de todos os descendentes de Kerana. Ele é um monstro grande e feroz, de aparência similar a uma ovelha, e possuidor de presas e garras longas. Ele também pode ser inspirado pela queixada, uma espécie de porco selvagem. O Ao Ao é um predador voraz e dizem que ele só se alimenta de seres humanos. Ele é capaz de tudo para capturar sua vítima. Se perseguido por Ao Ao, a única saída é subir numa palmeira, que é considerada uma árvore sagrada. Se você subir em qualquer outra árvore, o Ao Ao circundará a árvore, uivando incessantemente e, eventualmente, irá derrubá-lo. Seu nome vem de seu uivo, "Ao-ao-ao". Ele também é um deus da reprodução e gerou muitos filhos. Ele e sua prole são os senhores das colinas e montanhas.

Luison (ou Luisõ)


Arte de Light-Schizophrenia

O Luison é uma criatura similar ao lobisomem das lendas européias. Ele é descrito como uma grande criatura meio-humana, meio-canina. Seu domínio são os cemitérios, nos quais ele anda à noite e se alimenta da carne dos mortos. No entanto, suas origens podem ser bastante diferentes. Originalmente, ele era mais humano, horripilante, com longos cabelos negros e pele pálida. Ele se dizia ser o prenúncio da morte e desta forma se assemelhava ao ceifeiro europeu. Sua aparência e comportamento eram mais similares a um vampiro. Só mais tarde, após a chegada de colonos europeus, que sua história, forma e até mesmo a sua mudança de nome para que mais parecido com um lobisomem. O nome Luison é derivado da palavra lobisomem. Seu nome original em Guarani foi perdido.

Luison é o sétimo e último dos filhos de Tau e Kerana. Os sete são considerados figuras primárias na mitologia Guarani, e enquanto muitos dos deuses guaranis foram esquecidos pela tradição verbal, estes sete são geralmente mantidos nas lendas. Alguns são considerados reais até mesmo em tempos modernos, em áreas rurais ou regiões indígenas.


Nota: Esta publicação permaneceu desde sua publicação até a publicação desta nota (31/03/21) na seção "Mitologia e Folclore Brasileiro". Foi classificada como tal por conta de um entendimento errôneo da minha parte e de outros autores à respeito da mitologia guarani, que no caso dessa lenda, está restrita ao território paraguaio. Essa publicação no site Colecionador de Sacis, de Andriolli Costa, ajuda a entender um pocuo essa confusão: https://colecionadordesacis.com.br/2018/01/29/fatos-desconhecidos-os-erros-na-abordagem-dos-deuses-brasileiros/

NÃO DEIXE O BLOG MORRER! Separe um minuto para comentar, elogiar ou criticar as publicações. Faça também sugestões. Sua interação é importante ajuda a manter o blog ativo!

19 comentários:

  1. Olá, muito interessante! Qual é a fonte de pesquisa que você utilizou nesse post? Me interesso muito por mitologia tupi-guarani e gostaria de me aprofundar nesse tema.
    Obrigado e parabéns pelo site.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pesquisei em vários sites americanos que tratavam o tema. Infelizmente não tenho mais o endereço deles, mas se você procurar por "Guarany Mythology" ou "Paraguay Mythology" deve encontrar. Mitologia Guarani é um pouco difícil de encontrar um bom material.

      Excluir
    2. E é ainda mais triste quando se sabe que para saber mais sobre nossa mitologia, precisamos entrar em sites estrangeiros KKK não sei se rio e se choro

      Excluir
    3. Procurem por sites em espanhol do Paraguai. A mitologia é dos Guarani Mybia, que habitavam desde a região do Paraguai até o litoral do Sudeste brasileiro. Como o Paraguai manteve a maior parte dos indígenas vivos e com autonomia sob o território, a cultura se mantém mais viva entre eles que no território brasileiro.

      Excluir
  2. Muito bom post. Conseguiu me tirar umas dúvidas e confirmou alguns mitos que estão desencontrados na internet. Pesquisarei mais a fundo aqui no site, que demonstra ter uma fonte muito sucinta e exata.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a postagem! Ah, e as ilustrações são lindas, quem é o artista? Trabalho maravilhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! o artista que fez a imagem dos 7 monstros lendários é o Greco Westermann (Light-Schizophrenia).
      Galeria dele no Deviantart: http://light-schizophrenia.deviantart.com/

      Excluir
  4. Parabéns pelo site e pela postagem! Ajudou imenso numa pesquisa que estava fazendo sobre o tema.

    ResponderExcluir
  5. Amei a postagem, é bom ver que a mitologia brasileira ta sendo valorizada, fora as imagens lindas q vcs acharam, parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Uma das melhores pastagens que já vi sobre o tema

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Respostas
    1. Dois problemas que encontro ao pesquisar sobre deuses brasileiros (tupi-guarani e outras etnias): Primeiro, as escassas e vagas informações. As poucas coisas que encontro ao pesquisar muitas vezes nem fonte tem, logo não posso verificar a veracidade das informações. Segundo, faltam imagens e ilustrações. Mas eu estou sempre pesquisando, e sempre que é viável, eu trago algo da mitologia brasileira para o blog.

      Excluir
  9. queria saber como é o culto dos indígenas à essas entidades, eu encontro sites falando q são "monstros" logo são perigosos e os indígenas só tem medo deles não tem culto nem nada e outros sites falando q são deuses (mais também não falam como é o culto..)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado, tem muita informação adulterada por ai, inclusive em livros, então mesmo eu não tenho como afirmar nada sobre o assunto. Mas irei dar uma pesquisada para ver se encontro algo a respeito.

      Excluir
    2. valeuuu, eu sou de Rondônia e fico pesquisando mto sobre a cultura amazônica (sla tô na vibe de fzr o resgate à minha cultura, minhas raízes) e é bem complicado encontrar informações e tmb tem essa parada de "informações adulteradas"... já vi gnt flr q o curupira rouba crianças e só devolve ela dps de 7 anos, mas tipo mano oq q o curupira quer com uma criança que ela vai se dar o trabalho de roubar e cuidar por 7 anos?? tlg kkkkkkk

      Excluir
    3. aliás eu sempre vejo que as pessoas (sendo ou n da Amazônia) tendem a demonizar as lendas e os espíritos sendo que não tem sentido nenhum os indígenas criarem uma mitologia gigante só com monstros mortais pra cá e pra lá....

      Excluir



Seu comentário é muito importante, e muito bem vindo. Porém pedimos que evitem:

1)Xingamentos ou ofensas gratuitas;
2)Comentários racistas, homofóbicos, xenófobos e similares;
3)Spam de conteúdo e divulgações não autorizadas;
4)Publicar referências e links para conteúdo pornográfico;
5)Desrespeitar gratuitamente o autor da postagem ou outro visitante. Mantenha a polidez;
6)Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby