4 de fevereiro de 2013

Dionísio

۞ ADM Sleipnir


Dionísio ou Dioniso (em grego: Διώνυσος ou Διόνυσος, transl. Diōnisos ou Diónisos) era o deus grego equivalente ao deus romano Baco, dos ciclos vitais, das festas, do vinho, da insanidade, mas, sobretudo, da intoxicação que funde o bebedor com a deidade. É o único deus que possui um mortal como um dos pais. É filho de Zeus e de Sêmele, princesa tebana filha de Cadmo e Harmonia. Foi uma das vítimas da maldição lançada por Hefesto a toda descendência de sua mãe como vingança pela traição de Afrodite. Sêmele, instigada por Hera , rogou a Zeus que a ela se apresentasse em todo seu esplendor. O deus a preveniu de que seria impossível a qualquer mortal resistir a tal visão, mas como tinha jurado jamais negar-lhe qualquer pedido, e triste, apareceu diante da princesa em sua aparência divina. Sêmele, que se encontrava grávida na ocasião, não resistiu e caiu fulminada por raios e trovões. Zeus, com o auxílio de Hefesto, retirou-lhe o filho do ventre e o costurou à sua coxa de onde, passado o tempo de gestação, saiu Dionísio. Seu nascimento a partir de Zeus lhe garantiu a sua imortalidade.


Teve que realizar longa e árdua peregrinação até conseguir ser reconhecido como deus e adquirir o direito de participar da assembleia olímpica. Hera, mais uma vez interviu e fez com que fosse acometido por insanidade. Louco, vagueava pelo mundo ensinando aos homens o cultivo da uva e a fabricação do vinho. Foi somente após ser purificado por Réia, sua avó, que o deus pode retornar a Grécia para instaurar ali seu culto. Outra versão da história afirma que Hera arrumou para que os Titãs o matassem. Os Titãs o fizeram em pedaços, mas ele teve seu corpo reconstituido por Réia.


O pequeno deus passou toda sua infância fora do Olimpo pois, ao nascer, para fugir à implacável perseguição de Hera, foi levado por Hermes para ser criado por Ino. Hera, enfurecida com o gesto, puniu o casal, enlouquecendo tanto Ino quanto seu esposo, Átamas. Zeus, temendo nova investida da esposa contra o filho achou por bem enviá-lo à Nisa para ser educado pelas Ninfas e Sátiros. Foi durante esse período que Dionísio descobriu a arte de fabricar o vinho assim como os efeitos inebriantes produzidos pela bebida.

Seu séquito era composto por diversas figuras míticas dentre elas Sileno, as Bacantes e os Sátiros, que o acompanhavam carregando troncos de videira, coroas de hera, taças cheias de vinho, cachos de uva e o tirso enlaçado com folhagens. As Bacantes ou Mênades eram as jovens que tomadas por loucura mística, pareciam tomadas pelo deus; Sileno vivia embriagado e era dotado de grande sabedoria e do dom da vidência; os Sátiros simbolizavam as forças incontroláveis da natureza vegetal e animal.

Em sua jornada para ser reconhecido como deus castigava severamente todos aqueles que se recusassem a cultuá-lo.

Assim sucedeu quando o deus e seu alegre cortejo chegou à Trácia e o rei Licurgo tentou impedí-los de por ali passar. Encolerizado, o deus vingou-se enlouquecendo o monarca. Chegando a Tebas, o rei Penteu também se opôs à instituição dos mistérios de Dionísio. Nova vingança, pois durante uma bacanal na qual compareceu disfarçado, o rei foi descoberto pelas bacantes, que, bêbadas e transtornadas o dilaceraram. Também Alcítoe, Arsipa e Leucipa, filhas do rei Mínias, após cometerem inúmeras atrocidades motivadas pela loucura que foram tomadas, acabaram por ser transformadas em corujas pelo deus.


Na ilha de Naxos, Dionísio conheceu e se apaixonou por Ariadne que lá havia sido abandonada por Teseu . Fez da jovem sua esposa e com ela teve Enopião, Toante, Estáfilo e Pepareto; de seu romance com Afrodite nasceu Priapo, dotado de um falo descomunal.

Dionísio também é um dos poucos que foram capazes de trazer uma pessoa morta fora do submundo. Mesmo que ele nunca tinha visto Semele ele estava preocupado com ela. Eventualmente, ele viajou para o submundo para encontrá-la. Ele enfrentou Tanatos e a trouxe de volta para o Monte Olimpo.

Por fim, logrou alcançar o tão sonhado lugar junto aos imortais no Olimpo. Em sua homenagem eram realizadas quatro grandes festas: as Léneias, as Dionísias Urbanas, as Dionísias Rurais e as Anestérias, todas elas de caráter orgíaco que contavam com a participação de um elevado número de mulheres.

Deus do êxtase e do entusiasmo, levava com seu cortejo alegria e felicidade por toda a Grécia onde também era considerado protetor das belas artes.


fontes:
wikipédia
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

5 comentários:

  1. gostei muito, parabens

    #Beatriz Priscilla

    ResponderExcluir
  2. Na minha opinião um dos melhores deuses Greco-Romano, tanto como Baco, mas também como Dionísio. Deus das artes, das orgias e dos vinhos *~~* á e os gigantes gêmeos Efialtes e Oto que foram criados para derrotarem o Deus com o proposito de tomarem seu lugar no olimpo.

    Espero ter ajudado :D

    ResponderExcluir
  3. Deus muito legal e interessante um dos mais legais

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby