12 de janeiro de 2015

Apsu

۞ ADM Sleipnir


Apsu (Abzu) é um deus mesopotâmico primordial, que personifica a massa de água doce sob a qual flutua a Terra. Ele é o consorte de Tiamat, a deusa-dragão que personificava as águas salgadas do mar. Geralmente era visto como uma divindade sem forma definida, sendo a personificação das águas primevas, mas já foi descrito como um dragão (como sua consorte Tiamat) ou uma serpente.

No mito da criação narrado no Enuma Elish, no início, não havia nenhuma terra ou céu, existindo apenas o caos e a desordem entre os águas primordiais. Quando as águas doces de Apsu se misturaram com as águas salgadas de Tiamat, um terceiro elemento aquoso, talvez as nuvens, surgiu, e assim os primeiros deuses foram gerados. Com o tempo, seus filhos tornaram-se numerosos, e começaram a tentar estabelecer a ordem ao caos primordial.

A partir desse momento, teve início um conflito entre Apsu e seus filhos. Segundo uma versão do mito, o motivo do conflito foi que Apsu não suportava o barulho e alvoroço causado pelos deuses mais jovens, e por isso, planejou eliminá-los. Já outras versões alegam que a rebeldia das novas divindades irritou Apsu e sua esposa ou que Apsu ouviu seus filhos conspirarem para matá-lo. Seja qual foi o motivo, e apesar da oposição de Tiamat,  Apsu decidiu eliminar seus filhos, e convocou seu vizir Mummu para ajudá-lo. 

Assim, a luta entre os antigos deuses primordiais e seus descendentes começou. No épico da criação babilônico, Enki lança um feitiço sobre Apsu, colocando-o em um sono profundo, de modo que a divindade pode matá-lo facilmente. Na sequência da sua vitória, Enki estabeleceu sua morada sob o cadáver de Apsu, e Mummu também é aprisionado neste local. A morte de Apsu fez com que Tiamat se revoltasse, reunindo um exército de monstros e deuses renegados para vingar a morte de seu esposo.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

9 comentários:

  1. A primeira vez que eu vi este deus foi em Saint Seiya Omega, mais ele foi dito como o deus da escuridão, obrigado por postar o original.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, só não sei oq os dois tem em comum

      Excluir
    2. Eu também vim a conhecer essa divindade através de Saint Seiya Omega. Interessante como a nova animação pegou mitologia romana e mesopotâmica dessa vez.

      Excluir
    3. O que aconteceu é que tem uma versão que ele foi aprisionado no submundo e ai ele se tornou o dous da escuridão
      e é esse versão que eu ouvi falar primeiro ai depois eu vi essa e a de cavaleiros do zodiaco

      Excluir
    4. ele n era somente deus da escuridão,como também era deus das águas frescas,mas mal usou esse elemento em batalha

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Grande post sleipnir. Tendo oportunidade seria ótimo mais mitos sumérios e mesopotamicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Pedro, pode ter certeza que irei trazer mais mitos mesopotâmicos ao blog.

      Excluir
  4. Todos são mitos asim como Jesus também chegará sua hora de virar mito também

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby