14 de setembro de 2016

Gigantes

۞ ADM Sleipnir


Arte de Jason Kang
Gigantes são seres míticos e muito maiores do que os humanos comuns, possuindo geralmente uma forma humana, apesar de alguns possuírem uma aparência monstruosa. Nas diferentes mitologias ao redor do mundo, os gigantes desempenham os mais diferentes papéis. Eles costumam ser muitas vezes cruéis e maléficos, embora possam ser apenas desajeitados ou estúpidos. Em alguns mitos e lendas, no entanto, eles são simpáticos e prestativos, ou pelo menos neutros.

No geral, Gigantes representam poderosas forças naturais, que assustam e intimidam os seres humanos. Na mitologia do povo lakota, por exemplo, havia um gigante do norte chamado Waziya, que segundo as lendas sopra o vento do inverno. Em algumas tradições, um gigante aparece como um símbolo do caos, ameaçando perturbar a ordem natural do mundo ou comunidade social. 

Em muitos mitos, os gigantes são malignos e precisam ser derrotados, ou pelos seres humanos ou pelos deuses. Embora imensamente poderosos, os gigantes podem ser derrotados, quando confrontados com bravura e inteligência. Esta vitória da inteligência sobre a força bruta ocorre na história bíblica de Davi, que matou o gigante Golias com uma pedra de sua funda, e no conto popular inglês de Jack, o matador de gigantes, que derrota o gigante Blunderbore.
Ocasionalmente, gigantes cruéis e bondosos podem aparecer no mesmo mito. O povo Mensa da Etiópia conta uma história sobre um homem que tentou roubar o gado de um dos Rom, uma tribo de gigantes. Enfurecido, o gigante tenta matar o homem, mas o mesmo consegue fugir. Durante a fuga, o ladrão acaba fazendo amizade com outro gigante, que o esconde em sua capa. Para o azar desse homem, os dois gigantes se envolvem numa luta e ele acaba sendo esmagado acidentalmente por eles enquanto brigavam.

Os Gigantes Gregos

Os gigantes gregos eram uma raça de criaturas enormes filhos de Gaia, a Terra , e Urano, o céu. Eram metade homens, metade monstros, e possuíam caudas de serpentes em vez de pernas. Após Gaia irritar-se com Zeus, o pai dos deuses do Olimpo, os gigantes e os Olimpianos travaram uma guerra conhecida como a Gigantomaquia .


EncéladoArte de David Marin (louten)
Os deuses precisaram da ajuda do poderoso herói Héracles, pois os gigantes não podiam ser mortos por deuses. Os dois lados se encontraram em batalha na terra dos gigantes, um lugar chamado Phlegra. Os gigantes atiravam enormes pedras e partes de montanhs contra os deuses, além de brandirem árvores em chamas como armas. Os deuses reagiram fortemente, enquanto Héracles derrubava um por um com suas setas. Muitos escultores e artistas gregos retrataram a Gigantomaquia como o triunfo da civilização grega sobre a barbárie, ou do bem sobre o mal.

Dois grupos especiais de gigantes, também filhos de Gaia, foram os Ciclopes e os Hecatônquiros. Os Ciclopes eram 3 e cada um tinha um olho no meio da testa. Os Hecatônquiros também eram 3, e tinham cada um 50 cabeças e 100 braços. Ambos os grupos eram leais a Zeus. Os Hecatônquiros em particular se tornaram os carcereiros do Tártaro, o lugar de punição no submundo, onde os Titãs foram aprisionados após a Titanomaquia.

Jotuns, os gigantes de gelo nórdicos
Jotuns na HQ Thor, Deus do Trovão Vol 1
Gigantes aparecem em numerosos mitos do norte da Europa. Na mitologia nórdica, eles eram conhecidos como Jotuns, e seu reino era um lugar chamado Jotunheim, um dos nove mundos nórdicos. Lá eles moravam em uma enorme fortaleza chamada Utgard .

Assim como nos mitos gregos, conta-se que os deuses lutaram e conquistaram a raça dos jotuns. No entanto, os deuses e os jotuns nem sempre eram inimigos. Amizades e até mesmo casamentos ocorriam entre eles. As divindades masculinas geralmente se acasalavam com jotuns do sexo feminino. A mãe do deus do trovão Thor, por exemploera uma jotun chamada Jord. No entanto, os deuses resistiam violentamente a todas as tentativas dos jotuns de se acasalar com as deusas. Em um mito, o jotun Hrungir construiu um muro em torno de Asgard, a morada dos deuses, e como pagamento desejou a deusa Freya, mas a única coisa que recebeu foi um golpe esmagador do martelo de Thor.



Embora os deuses nem sempre fossem bons e os jotuns nem sempre fossem ruins, a luta entre os dois grupos constitui um dos temas fundamentais da mitologia nórdica e muitas vezes simbolizava a luta do bem contra o mal.

Gigantes Nativo-Americanos

A maioria dos gigantes dos mitos nativo-americanos são malignos e perigosos. Alguns começam lutas entre os seres humanos de modo que, em meio a confusão possam roubar as mulheres dos homens. Outros roubam crianças, geralmente para comê-las. Muitos gigantes nativos americanos têm características monstruosas ou inumanas. Tall Man, um gigante do povo Seminole, possui um cheiro terrível, enquanto gigantes das histórias do povo Lakota possuem características que os assemelham a bois.

Os índios Shoshone do oeste americano contam histórias sobre Dzoavits, um ogro gigante e horrendo, conhecido por roubar o sol e sequestrar crianças. Na maioria das lendas ele enfrenta vários animais mitológicos, antes de ser preso em uma caverna.

Gigantes Ancestrais

Os mitos de várias culturas associam gigantes com tempos primordiais. Às vezes gigantes figuram no processo de criação do mundo. A mitologia nórdica diz que a primeira coisa a aparecer a partir do caos foi o gigante de gelo Ymir, o ancestral dos gigantes de gelo e também dos deuses, que após ser morto, teve seu corpo usado para formar a Terra. O gigante Pan Gu preenche um papel semelhante ao de Ymir na mitologia chinesa. Aborígenes no noroeste da Austrália contam histórias sobre os dois irmãos Bagadjimbiri, ambos gigantes e deuses criadores, que criaram as paisagens e as pessoas. Quando morreram, seus corpos se tornaram cobras d'água e seus espíritos se tornaram nuvens. De acordo com o povo Akamba do Quênia, um caçador gigante chamado Mwooka criou as montanhas e os rios.

Gigantes sob a terra

Alguns mitos usam os gigantes para explicar características do mundo natural. Por exemplo, durante a luta em que os deuses gregos venceram os gigantes, vários dos gigantes caídos tornaram-se parte da paisagem. Enquanto o gigante Encélado fugia do campo de batalha, a deusa Atena o esmagou com a ilha da Sicília. Depois disso, ele ficou preso sob a ilha, expirando sua respiração de fogo através do vulcão Etna. Abaixo do Vesúvio, um vulcão do continente italiano, foi enterrado outro gigante chamado Mimas. Hefesto, o deus ferreiro, o sepultou lá derramando metal derretido sobre ele.

Mitos de várias partes do mundo dizem que em algum tempo remoto, os ancestrais dos humanos eram gigantes e eles encolheram para seu tamanho atual após um período muito longo de tempo. Outras histórias falam de gigantes que viviam entre as pessoas em um momento anterior na história. Gogmagog era um gigante lendário do folclore Inglês, que segundo a lenda foi derrotado por Corineus (um companheiro de Brutus de Tróia). Na mitologia judaica, uma raça de gigantes vivia no mundo juntamente com os humanos comuns antes do grande dilúvio que dizimou a maioria dos seres vivos. Um gigante chamado Ogue teria sobrevivido ao dilúvio agarrando-se na Arca de Noé. De acordo com algumas tradições, ele viveu até os 3.000 anos de idade, sendo morto por Moisés e seus homens durante a batalha de Edrei.



fonte do texto:

Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby