19 de abril de 2013

Orfeu & Eurídice

۞ ADM Sleipnir



Na mitologia grega, Orfeu era um músico que cantava e tocava tão bem que até mesmo os animais, as rochas e as árvores dançavam suas músicas. Ele era o filho de Calíope, musa da poesia épica, e do deus Apolo. Foi Apolo quem deu a Orfeu a sua  primeira lira , o instrumento que ele sempre levava consigo.


Orfeu acompanhou Jasão e os Argonautas em sua busca pelo Velocino de Ouro e usou sua música várias vezes para facilitar a sua viagem. Em uma ocasião, ele acalmou o mar com sua maneira de tocar, outra vez, ele salvou os Argonautas das sereias mortais tocando tão alto que eles não podiam ouvir o canto das sereias. Ele também parou uma briga dos Argonautas  com uma canção sobre as origens do universo.


Um dia, Orfeu apaixonou-se pela ninfa Eurídice. Pouco depois de seu casamento, Eurídice foi mordida por uma cobra e acabou falecendo. De luto, Orfeu recusou-se a tocar ou cantar por um longo tempo. Finalmente, ele decidiu ir para o submundo para encontrar sua amada Eurídice. Seu modo de tocar encantou Caronte, o barqueiro que levava as almas dos mortos através do rio Estinge para o submundo. Caronte concordou em conduzir Orfeu através do rio, apesar  dele não estar morto. A música de Orfeu também domou Cérbero, o cão de três cabeças monstruoso que guardava os portões do submundo. Mesmo Hades e Perséfone, rei e rainha do submundo, não puderam resistir a sua melodia. Hades, a pedido de sua esposa, permitiu que Orfeu pudesse levar Eurídice de volta à Terra, com uma condição. Ele não deveria olhar para ela até que ambos atingissem a superfície. 


Orfeu levou sua esposa a partir do submundo, e quando ele chegou à superfície, ele estava tão feliz que ele olhou de volta para compartilhar o momento com Eurídice. Imediatamente, ela desapareceu no submundo.

Orfeu passou o resto de sua vida de luto por sua esposa perdida. Com o tempo sua dor enfureceu as Bacantes, um grupo de mulheres que adoravam o deus Dionísio. Para punir Orfeu por negligenciar as suas atenções, rasgaram-lo em pedaços. As Musas recolheram os pedaços de seu corpo e os enterraram, mas as Bacantes jogaram a sua cabeça e sua lira no Rio Hebrus. A cabeça continuou a cantar, e a lira continuou a tocar, e ambos acabaram descendo ao mar, finalmente chegando ao descanso na ilha de Lesbos. A cabeça se tornou um oráculo que rivalizava com o oráculo de Apolo, em Delfos. Os deuses colocaram a lira no céu como uma constelação.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

11 comentários:

  1. Sou apaixonada por mitologia grega e neste blog encontro todas as informações que procuro!
    Obrigada por existirem!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado você e continue prestigiando o nosso blog, vem muita coisa boa por aí!

      Excluir
  2. Fiquei extremamente comovido, mesmo consciente de se tratar de um mito.Já tinha lido em outrora em um livro de "Biografia de Compositores"e todas as fezes me toca profundamente;algo mágico invade minha mente e posso sentir o som garboso e magnífico da lira de Orfeu.
    Continuem a fazer esse belo trabalho; pois o mundo precisa de doses de nostalgia, pois a realidade e chata demais! Parabéns

    Jorge augusto P. Correa
    Compositor Clássico e Popular, Poeta, Dramaturgo, Multi-Instrumentista, Escritor e Professor Geral da Música.

    ResponderExcluir
  3. Também sou louca por mitologia... não só grega!

    ResponderExcluir
  4. eu gosto mais de saber sobre mitologias gregas......mais a que mais me fascinou foi essa de Orfeu e Eurídice
    Obg por....compartilhar desses Mito e Histórias fascinantes......^^
    e é um ótimo site.para que gosta de Mitos......

    ResponderExcluir
  5. Amei ese conto,me lembra tbm do casal Obirin,Obito perdeu ela e viu a mesma morrer,então quer fazer de tudo para reviver ela <3

    ResponderExcluir
  6. gostei muito !!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Obrigado por postar essa mitologia
    Estava precisando mas nao conseguia enconrar obrigado

    ResponderExcluir
  8. Obrigado por postar essa mitologia
    Estava precisando mas nao conseguia enconrar obrigado

    ResponderExcluir
  9. Olá, adorei; Amo mitologia Grega, e queria saber: Qual é o sentido desse mito ? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Matheus! Deixo aqui uma ótima análise do mito de Orfeu e Eurídice feita pela Lucia de Belo Monte no blog "Mitologia Grega" (http://eventosmitologiagrega.blogspot.com.br):

      O Mito de Orfeu e Eurídice mostra que tudo o que fazemos nasce de um desejo, de um propósito ou uma promessa. No entanto, a concretização pode ser comprometida pela impulsividade e pela imprudência. Muitas vezes na vida nos desviamos dos nossos objetivos porque nos deixamos distrair, o que pode levar ao encontro com a Serpente, que pode destruir tudo o que havíamos construído antes.

      O Mito mostra que a parte atingida de Eurídice foram os pés, simbolo de que só podemos caminhar quando temos a prudência de sabermos por onde estamos andando. Alguns caminhos podem nos levar aos lugares onde o sofrimento estão nos esperando, e os quais podemos evitar usando a consciência. Tantos heróis como Aquiles, Hércules e Édipo também se perderam após serem atingidos nos pés, por causa de sua distração e vulnerabilidade, relacionados ao signo de Peixes.

      É próprio do ser humano tornar-se inconsolável diante das perdas e assim como Orfeu, é natural tentar se recuperar das perdas. Podemos nos recusar a seguir adiante na vida perseguindo um objetivo fracassado ou não aceitando acontecimentos inevitáveis, como a morte por exemplo, algo que já foi e que não retornará; ou dedicarmos a ajudar a outros que sofrem, no entanto, não conseguiremos a apagar o nosso sofrimento.

      O que podemos buscar é apenas uma nova oportunidade, porém há uma condição: assim como Orfeu, não podemos voltar para trás, para o passado. É preciso confiar que mais adiante encontraremos as respostas para aplacar nossa dor, quando atingirmos a luz da consciência. Mas se não cumprirmos essa condição, nossa dor pode se tornar maior e nos destruir, e estaremos fadados a permanecer eternamente num tempo que não volta mais.

      Excluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby