19 de maio de 2013

Frigga

۞ ADM Sleipnir



Frigga (Friga ou Frigg) é a deusa do amor e da fertilidade na mitologia nórdica. Atuando como uma padroeira de todas as mães, Frigga é muitas vezes invocada para garantir um parto seguro, geralmente acendendo uma vela branca, a qual queima durante o solstício de inverno. Embora Frigga seja a esposa de Odin (e a rainha de Asgard), ela não vive com ele. Em vez disso, ela tem sua própria residência, chamada Fensalir (o salão de névoa), que também é o lar de um grande número de empregadas domésticas. Lá, ela tece as nuvens do céu, e usa uma vassoura para varre-las, se elas se amontoarem. Seu eixo era tão magnífico que brilhava no céu noturno como uma constelação. Frigga também foi dita possuir um conjunto de penas de falcão que lhe permitem assumir a forma da referida ave.

Alguns dizem que Frigga era gentil e carinhosa, mas um pouco atrevida também. Ela é muitas vezes descrita como uma bela mulher coroada de penas. vestindo um cinto de ouro ao redor da cintura dela. Nesta cinto, ela usa um molho de chaves: um símbolo da dona de casa nórdica. Outro símbolo dela é o ganso, que era considerado sagrado para ela. Ela também montava uma carruagem conduzida por uma matilha de cães, embora em algumas obras de arte, Frigga seja descrita como sendo puxada por gatos em vez de caninos.


Frigga é a deusa mãe da classe dos Aesir. Os seus filhos são Balder, Hod e provavelmente Hermod e Wecta; seus enteados são Tyr, Vidar, Váli, Skjoldr e Thor. A companheira de Frigga é Eir (deusa da cura). As assistentes de Frigga são Hlín (a deusa da proteção), Gná (a deusa dos mensageiros), e Fulla (deusa da fertilidade). Não é claro se as companheiras e as assistentes de Frigga são os aspectos simplesmente diferentes da própria Frigga. De acordo com o poema Lokasenna, Frigga é a filha de Fjorgyn (versão masculina da “terra,” cf. versão feminina da “mãe terra,” de Thor), sua mãe não é identificada nas histórias que sobreviveram.

Ela é reconhecida como sendo uma völva (usuário de magia que lidava discernindo e alterando o curso do destino, muitas vezes reescrevendo-o). No entanto, Frigga só possuía o poder de ver o futuro (uma habilidade que ela mantinha escondida dos outros) mas era incapaz de mudar seu curso por capricho, mas quando ela previu o futuro destino de seu filho amado, Balder (que nasceu numa Véspera de Ano Novo, chamada "Noite das Mães" por causa do trabalho de Frigga), ela decidiu tomar uma atitude. A fim de evitar sua morte, Frigga foi ante a presença de cada objeto existente,e os fez jurar que não iriam prejudicar seu filho. 

No entanto, por ela não ter visto o visco como sendo ameaçador, ela não pediu para ele fazer o juramento, que infelizmente, levou a queda de Balder. Quando Loki descobriu sobre o um ponto fraco do deus, ele decidiu explorá-lo. Ele criou uma lança feita da planta e deu para Hod, o irmão cego de Balder, que a jogou no deus, pensando que ele iria simplesmente desviar-se dela. Mas ao vez disso, a lança o matou, e Frigga, sendo a mãe amorosa que ela era, foi devastada. Seu luto comoveu tanto a planta que causou a morte de Balder, que esta começou a produzir bagas brancas leitosas, que se dizia serem feitas das lágrimas de Frigga. Em algumas versões do mito, Balder é trazido de volta a vida, e, como resultado, Frigga proclama  o visco como um símbolo de paz e amor, e promete um beijo a aqueles que ficarem debaixo dele.




Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby