18 de março de 2015

Te-no-me

۞ ADM Sleipnir



Te-no-me (手の目, てのめ, algo como "olhos nas mãos"é um yokai ilustrado no primeiro livro da série Gazu Hyakki Yakō (画 図 百 鬼 夜行, " A Ilustrada Parada Noturna de Cem Demônios") de Toriyama Seiken, como uma criatura humana com os seus olhos localizados na palma das mãos ao invés do rosto. Ele se alimenta de humanos, e vagueia durante a noite em campos abertos ou cemitérios, em busca de algum para se alimentar. Sua visão não é muito boa, mas ele é bem rápido e seu olfato é bem apurado, o que facilita com que ele localize suas vítimas no escuro. Ele espera até sua presa estar muito perto antes de atacá-la. Quando a mesma percebe que ele não é um humano, e sim um yokai, já é tarde demais para fugir.

Acredita-se que um Te-no-me seja o fantasma de um homem cego, que tenha sido roubado e assassinado por bandidos. Um conto popular fala sobre um homem que é atacado durante a noite por um monstro com olhos em suas mãos, e nenhum em seu rosto. O homem consegue fugir e encontra uma pousada nas proximidades, onde se abriga. Ele diz ao gerente o que havia visto, e o gerente lhe conta que há poucos dias, um homem cego foi atacado e roubado no mesmo campo. Enquanto o homem agonizava no chão, ele gritou em seu último suspiro: "Se ao menos eu pudesse visto uma vez seus rostos! Se ao menos eu pudesse enxergar - ainda que fosse através das palmas das minhas mãos ... " O ressentimento do homem a beira da morte o levou a renascer como um yokai com os olhos nas palmas das suas mãos, assim como ele desejou .


Uma outra lenda conhecida em Shichi-jo, Kyoto, fala de um jovem que certa vez entrou em um cemitério à noite para testar sua coragem. Ele caminhou alguns passos em meio a escuridão, quando de repente um homem velho surgiu e veio ao seu encontro. Quando o homem chegou perto o suficiente para que pudesse ser visto em detalhes, o jovem viu que ele não possuía olhos no rosto, e sim nas palmas das mãos.

O jovem correu o mais rápido que pode em direção a um templo próximo ao cemitério, e o Te-no-me rapidamente o seguiu. Ao entrar no templo, o jovem pediu ajuda ao padre, que o escondeu dentro de um baú e o trancou. Pouco tempo depois, o Te-no-me entrou no templo, farejando bem alto. Com o barulho, o jovem podia ouvir ele farejando cada vez mais perto, até que parou bem ao lado do baú onde ele estava escondido. Então, ouviu-se um som estranho, similar ao som de um cão chupando ossos. Um pouco mais tarde, o som misterioso desapareceu, juntamente com o Te-no-me. O padre correu até o baú e o abriu para deixar o jovem sair, mas tudo o que havia dentro do mesmo era a pele solta e vazia do jovem. De alguma forma, seus ossos haviam sido completamente sugados para fora de seu corpo.

Te-no-me aparece no filme O Labirinto do Fauno (Pan's Labirynth) de 2006.

Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

3 comentários:

  1. nossa ja vive esse filme mais nao sabia que ele era de origem oriental

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca assisti o filme, mas pã é um deus grego, deve ser uma mistura de culturas...

      Excluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby