17 de maio de 2013

Deméter

۞ ADM Sleipnir



Deméter é a deusa grega da vegetação e da fecundidade, e era conhecida pelos romanos como Ceres. Ela era filha de Cronos (Saturno) e Réia, e irmã de Zeus. Embora Deméter não fosse uma dos 12 deuses do Olimpo (em algumas fontes ela é inclusa nesse grupo), suas origens podem ser traçadas voltando a tempos muito antigos, possívelmente na deusa egípcia Ísis. Seu nome significa "deusa mãe" ou "mãe de cevada". O nome romano de Deméter, Ceres, é derivado da palavra cereal, usada para se referir a todos os tipos de grãos. A palavra espanhola para a cerveja, cerveza, também vem do nome da deusa romana, porque a cerveja é feita de cevada.

Deméter teve uma filha com Zeus chamada Perséfone ("a de braços brancos"). As figuras de Deméter e Perséfone estão intimamente relacionadas, e certos aspectos de Perséfone - por exemplo, como uma deusa do submundo - também estão associados a Deméter em diferentes versões do mesmo mito.


Em um conto, Hades, o governante do submundo, se apaixonou por Perséfone e a raptou para torná-la sua rainha. Deméter passou nove dias e nove noites em busca de sua filha, tendo uma tocha. Quando ela não conseguiu encontrar Perséfone, ela tomou a forma de uma mulher velha e sentou-se junto a um poço na cidade de Eleusis, Que era governado pelo rei Celeus. As filhas do rei logo vieram para tirar água do poço e viram a velha, que parecia estar chorando. Com pena dela, elas pediram que ela voltasse para casa com eles para descansar sob o seu teto e tomar um refresco. No palácio, a rainha, Metanira, e os seus servos mostraram tanta hospitalidade, que Deméter concordou em ficar e cuidar de Demofonte, filho do rei.

Deméter planejou secretamente recompensar o rei e a rainha, fazendo seu filho virar imortal. Durante o dia, ela alimentou o menino com ambrosia, o alimento dos deuses. À noite, ela deitou-o nas cinzas da fogueira para queimar sua mortalidade. No entanto, uma noite, uma das criadas da rainha viu Deméter colocar o menino no fogo e disse a rainha. Metanira surpreendeu Deméter e gritou para ela parar. Deméter então revelou sua verdadeira identidade e proclamou que a criança não seria imortal, mas cresceria para fazer grandes coisas. Segundo a lenda, Triptolemus (talvez um outro nome para Demofonte) viajou ao redor do mundo levando a agricultura à todos os povos do mundo. Deméter ordenou que o rei construisse um templo para ela e ensinou-lhe os ritos secretos que as pessoas deveriam executar em sua honra.

Ainda sofrendo por Perséfone, Deméter negligenciou a terra. Como resultado, todas as culturas murcharam e morreram, e a fome se espalhou pelo mundo inteiro. Zeus ficou alarmado, porque temia que todos os seres humanos morreriam, não restando ninguém para realizar sacrifícios aos deuses. Mas Deméter não restauraria a vida na terra a menos que Perséfone fosse devolvida para ela. Zeus convenceu Hades a libertar Perséfone, mas durante a sua estada no submundo, ela tinha comido algumas sementes de romã. Devido a isso, Perséfone estava sempre ligada a Hades e obrigada a passar parte do ano com ele apenas no submundo e parte na terra com sua mãe. Esta história foi usada para explicar o ciclo das estações. Quando Deméter estava sem a filha, então a terra era estéril. Quando sua mãe estava com Perséfone, as plantas voltavam a crescer.


Os ritos realizados em honra de Deméter tornaram-se os mistérios de Elêusis, uma das cerimônias mais importantes da Grécia antiga. Os estudiosos ainda não sabem tudo o que acontecia durante os ritos secretos. No entanto, acredita-se que os mistérios envolviam o jejum, uma procissão de Atenas para Eleusis, danças sagradas, e uma reconstituição da história de Perséfone. Para aqueles que participaram foi prometido um futuro especial no submundo após a morte.

Deméter também teve um casal de gêmeos chamados Despina ("a deusa das sombras invernais") e Árion, com seu irmão Poseidon. Ela abandonou a menina sem nome ao nascimento para procurar Perséfone quando raptada. Despina, que representa o inverno, é o oposto de sua irmã, Perséfone, que representa a primavera e de sua mãe, Deméter, deusa da agricultura. O filho chamado Árion, era um cavalo de crinas azuis, tinha o poder da fala e de ver o futuro. Foi o cavalo mais rápido de todos os tempos e ajudou muitos heróis bravamente em suas conquistas. Ela também é uma das deusas que tiveram filhos com mortais, e teve com o herói cretense Iásio o deus Pluto. Um fragmento do Catálogo de Mulheres, de Hesíodo, sugere que Deméter teve um outro amante mortal, Eetion, que foi fulminado por um raio de Zeus . Alguns críticos consideram que Iásio e Eetion são a mesma pessoa




Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

5 comentários:

  1. Gente não sabia q Demeter minha mae na mitologia fosse tao ma a ponto de deixar 1 filha para encontrar outra custava ter levado os filhos justo com ela....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sou filha dela na mitologia grega,acho que eu sou a Despina.

      Excluir
  2. Muito bom!
    Seria legal se colocassem as referências bibliográficas ^-^

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby