Image Map

17 de março de 2013

Baba Yaga

۞ ADM Dama Gótica

Arte de Alexander Shatohin

Baba Yaga (em russo: Баба-яга, também chamada Baba Jaga (em polonês), jězě (em tcheco e eslovaco) e Jaga Baba (em esloveno) ) é uma das criaturas mais famosas do folclore russo e eslavo, e também uma das mais confusas, pois não se tem certeza do que vai acontecer se uma pessoa cruzar o seu caminho. Dona de um temperamento imprevisível, ela pode tanto fazer o mal (como é o caso na maioria das histórias) ou o bem. Alguns dizem que ela é uma única bruxa, já outros dizem se tratar de um trio de bruxas que compartilham o mesmo nome. 

Aparência

Baba Yaga é geralmente descrita como uma velha deformada e desgrenhada com pernas ossudas, um nariz torto e comprido, olhos frios penetrantes e dentes de ferro. Cada parte de seu corpo, incluindo olhos, orelhas, pés, mãos e boca são grotescos e deformados. Apesar de sua aparência extremamente frágil, Baba Yaga é rápida e extremamente forte, sendo capaz de subjugar um homem adulto com suas próprias mãos.

Folclore

Conta-se que Baba Yaga habita em meio a escuridão nas profundezas de uma floresta. O local, quase inacessível possui uma vegetação que cresce e se desenvolve de maneira sobrenatural. As copas das árvores impedem a entrada dos raios de sol, os troncos delas são repletos de fungos venenosos e os arbustos são cheios de espinhos. Neste lugar sombrio, reina o silêncio absoluto. Apesar disso, existe um único caminho através dessa floresta que leva até sua morada, uma cabana de madeira caindo aos pedaços. Uma cerca feita de ossos e crânios humanos circunda a cabana, cuja porta de entrada é voltada para o lado oposto ao caminho que leva até ela.

Caso alguém deseje entrar na cabana, precisa bater palmas ou chamar a atenção de sua moradora. Na realidade, Baba Yaga sempre sabe quando há visitantes no seu alpendre, e ela decide se quer ou não receber visitas. Caso ela decida aceitar receber alguma visita, a cabana inteira estremece e se ergue do chão de terra. Imensas pernas de galinha, que servem como base de sustentação para a cabana, se encarregam de posicioná-la corretamente, fazendo com que a porta fique diante de quem planeja entrar. Se por algum motivo o visitante se comportar de maneira desrespeitosa enquanto chama pelo dono da casa, Baba Yaga ordena que cabana o pisoteie até esmagar cada osso de se corpo. 

Algumas lendas mencionam criaturas que atuam como seus servos e ajudam a proteger a sua cabana. São eles um cão de caça feroz, um gato preto de olhos verdes extremamente malignos e uma espécie de árvore, alimentada com sangue, que cresce na frente de sua casa e cujos galhos se estendem como tentáculos. Essas criaturas são criadas magicamente e são dotadas de inteligência, obedecendo com intensão assassina a todas as ordens de sua mestra. Em algumas histórias, elas cumprem tarefas como enviar mensagens, seguir vítimas ou proteger a casa na ausência da bruxa. Há ainda horríveis mãos decepadas de cadáveres que são enterradas na entrada da casa da bruxa e que servem de guardiões contra invasores. Quando alguém tenta forçar a entrada, essas mãos irrompem do chão para agarrar os pés e tornozelos do invasor, detendo o seu avanço. Há ainda três cavaleiros enigmáticos que cavalgam montarias fantasmagóricas e servem Baba Yaga em todos os seus propósitos. 

Baba Yaga raramente deixa a sua cabana, na maioria das vezes ela aguarda pacientemente até que alguma presa venha até ela. Ela é capaz de disfarçar sua cabana através de encantamentos, fazendo com que o aspecto sinistro da mesma dê lugar a um aspecto mais confortável e convidativo. A própria Baba Yaga pode assumir outras formas humanas mais agradáveis. Uma delas é a de uma jovem mulher de cabelos negros e pele muito branca que anda descalça sobre a neve, protegida apenas por um manto de pele de raposa. Ela é escolhida quando a bruxa deseja atrair um homem valendo-se de luxúria. A outra forma é de uma mulher de meia idade, com roupas de camponesa e com o olhar reconfortante de uma mãe cheia de candura. Quando usa esse aspecto a casa exala um odor convidativo de comida recém preparada, de doces ou guloseimas. É claro, essas duas formas escondem a verdadeira face da bruxa que se diverte ao mostrar sua aparência decrépita antes de capturar suas vítimas.             

Arte de kikimor

Todos que adentram em sua cabana, seja aqueles que ali chegaram por vontade própria ou os que foram atraídos, estão destinados a terminar no grande forno à lenha da bruxa. Ao menos esse é o fim da maioria das pessoas. Esses infelizes podem ser atacados de surpresa, sendo simplesmente empurrados para dentro do forno ou desmaiando após ingerir alguma poção, se fartar com uma ceia ou compartilhar da cama da bruxa (quando ela escolher usar a tática da luxúria). Existem algumas táticas que podem salvar a pessoa de se tornar alimento para a Baba Yaga. Oferecer-se para rachar lenha, varrer a casa, moer grãos ou preparar alguma refeição pode salvar o indivíduo da morte certa. Em algumas circunstâncias demonstrar amabilidade, esperteza ou bravura pode resultar em um presente. Infelizmente, fazer perguntas inconvenientes, agir com grosseria ou desacatá-la é o caminho mais rápido para a morte.

Nas raras ocasiões em que deixa sua cabana, Baba Yaga utiliza uma espécie de almofariz de madeira voador para se locomover, enquanto usa uma vassoura como leme para conduzir o almofariz e também para limpar a trilha por onde ela passa, para que ninguém possa rastreá-la. Nas culturas eslavas, nada pode ser sinal de maior azar do que derrubar um almofariz no chão, pois dizem que isso pode atrair a fúria da Baba Yaga. Da mesma forma, uma vassoura usada para varrer os dois pés de uma pessoa ao mesmo tempo funcionava como uma espécie de maldição, marcando o indivíduo para encontrar a terrível bruxa mais cedo ou mais tarde.

Apesar de ser essencialmente maligna, às vezes ela está disposta a ajudar aqueles que a procuram, especialmente se tiverem sofrido alguma injustiça ou perseguição. Não raramente ela sabe de algum problema ou aflição e tenta a pessoa com uma solução para seu dilema oferecendo algum talismã, amuleto ou feitiço miraculoso. No entanto, confiar demasiadamente nela pode ser fatal, pois seu humor é tão volúvel quanto o clima e de uma hora para outra, a pessoa que ela pretendia ajudar pode parar dentro de seu forno. Poucas coisas são capazes de machucá-la; ela é imune a armas e a maioria dos ataques físicos simplesmente não resultam em nada em seu corpo. Contudo, ferro frio (não moldado) é capaz de feri-la e talvez até matá-la. Magias também podem ser um trunfo, embora ela conheça muitas formas de  neutralizar e anular feitiços.
    
Como muitas figuras do folclore, Baba Yaga é mais uma força da natureza do que um símbolo de morte, maldade e destruição. Ainda que seja uma criatura de comportamento imprevisível,ela é uma boa juíza de caráter e quando detecta algum atributo ou virtude em uma vítima em potencial, ela prefere ouvir o que ela tem a dizer antes de simplesmente devorá-la. Ainda que esteja sempre faminta, característica por si só assustadora, os povos eslavos vêem nela uma fonte de sabedoria que não pode ser rejeitada.

Arte de karichiristensen


Origem e significado do nome

A lenda de Baba Yaga provavelmente surgiu quando as religiões da Europa eram dominados por um panteão de deuses e criaturas, ambos controlando as forças da natureza e o destino do homem. Ninguém sabe ao certo quando ou onde sua lenda se originou, mas parece que ela faz parte da tradição oral no nordeste da Europa e na Rússia há milênios.

Apesar disso. a primeira referência escrita à Baba Yaga ocorreu somente no ano de 1755, na gramática russa de Mikhail W. Lomonosov. Baba foi traduzido como velha, bruxa ou avó, dependendo de qual língua eslava está sendo referenciada. O significado de Yaga ou Iaga não têm um consenso acadêmico definitivo. A palavra significa horror e estremecimento em sérvio e croata, raiva em esloveno, bruxa em tcheco antigo, ninfa de madeira perversa em tcheco moderno, bruxa e fúria em polonês e serpente ou cobra em sânscrito.

fontes:
NÃO DEIXE O BLOG MORRER! Separe um minuto para comentar, elogiar ou criticar as publicações. Faça também sugestões. Sua interação é importante e ajuda a manter o blog ativo!

8 comentários:

  1. Baba Yaga aparece no primeiro livro da série Os Livro da Magia: O Convite. Ela aparece como uma velha que tenta cozinhar o protagonista junto com um coelho e um porco-espinho que falam. Meio bizarro e quer saber, mas gostei demais desse texto. ^^

    ResponderExcluir
  2. Aparece em Filhos do Éden de Rafael Dragon também, na música do Edguy "The Realms of Baba Yaga" e agora na DLC do jogo Rise of the Tomb Raider.

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto. Gostei do blog e das temáticas. Alguém recomenda textos bons para abordar na sala de aula?
    Esses dias também li um outro texto sobre Baba Yaga – A Bruxa Russa aqui:
    http://demonstre.com/baba-yaga-a-bruxa-russa/
    Abraços e até ao próximo post!

    ResponderExcluir
  4. Baba Yaga é uma NPC importante no jogo MMORPG RuneScape e lá ela tem a casinha com pernas dela kkk

    ResponderExcluir
  5. Tô pesquisando histórias de bruxas celtas, mas não encontro muita coisa além de Cailleach, então tô pensando dar uma sincretizada com a baba yaga. O site de vocês me ajuda MUITO a encontrar informações sobre mitos, com certeza vou lembrar de fazer uma menção bem honrosa nos agradecimentos no fim dos livros que tô escrevendo :D

    ResponderExcluir
  6. Uma história contendo a Baba Yaga é contada no livro "Mulheres que Correm com os Lobos". É um livro muito interessante que disseca ensinamentos e metáforas femininas importantes de lendas e contos milenares. No conto a personagem tem que usar a sua intuição para conseguir a ajuda da Baba, fazendo alguns favores simples como arrumar a cabana e cozinhar a comida favorita da bruxa. Ela também aparece em uma fase do jogo Alice Mind Snares e é um dos deuses do jogo Smite (ela voa em um caldeirão, segura um pilão gigante e a casa com patas de galinha sempre está por perto!)

    ResponderExcluir



Seu comentário é muito importante, e muito bem vindo, porém peço que evitem:

1) Xingamentos ou ofensas gratuitas ao autor e a outros comentaristas;
2)Comentários racistas, homofóbicos, xenófobos e similares;
3)Spam de conteúdo e divulgações não autorizadas;
4)Publicar referências e links para conteúdo pornográfico;
5)Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Comentários que inflijam um desses pontos estão sujeitos a exclusão.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderei responder seus comentários de forma mais apropriada, e de brinde você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby