10 de março de 2013

Reencarnação

۞ ADM Sleipnir



Muitas culturas possuem mitos e lendas que falam de heróis ou outros personagens que morrem e depois retornam para a vida. Quando eles reaparecem, porém, não é como seus eus anteriores, mas como outras pessoas, como animais, ou até mesmo como plantas. O conceito de reencarnação, uma reaparição de um espírito ou alma em forma terrena é baseado na crença de que a alma de uma pessoa continua a existir depois da morte e pode transmigrar, ou mover-se, em outro ser vivo.

A crença na reencarnação tem sido compartilhada por uma grande variedade de povos, incluindo os antigos egípcios e os gregos e os povos aborígines da Austrália central. As idéias mais complexas e influentes sobre a reencarnação são encontradas nas religiões asiáticas, especialmente no hinduísmo e no budismo.



Crenças sobre a reencarnação 

Os grupos culturais que acreditam em reencarnação têm idéias diferentes sobre o modo como ela ocorre. Alguns dizem que as almas humanas vêm de uma fonte geral de energia vital. Outros afirmam que determinados indivíduos repetidamente renascem ou voltam à vida através de seus descendentes.


Na Austrália, a maioria dos aborígines acreditam que as almas humanas vêm de espíritos deixados por seres ancestrais que percorriam a Terra durante um período mítico chamado "Tempo dos Sonhos". O nascimento de uma criança é causado quando um espírito ancestral  entra no corpo de uma mulher. O espírito espera em um lugar sagrado para passar a mulher. Após a morte, o espírito da pessoa retorna aos poderes ancestrais.

Segundo a crença tradicional africana, as almas ou espíritos de pessoas mortas recentemente permanecem perto do túmulo por um tempo, em busca de outros organismos- como répteis, mamíferos, pássaros, ou de humanos - para habitar. Muitas tradições africanas vinculam reencarnação ao culto dos antepassados, que podem renascer como seus descendentes ou como animais associados com seus clãs ou grupos. Os povos Zulu da África Austral acreditam que a alma de uma pessoa renasce muitas vezes nos corpos de animais diferentes, que variam em tamanho de insetos minúsculos a grandes elefantes, antes de nascer como um ser humano novamente. Os povos Yoruba e Edo da África ocidental possuem a noção generalizada de que as pessoas são as reencarnações de seus antepassados. Eles chamam os meninos "Pai retornou" e as meninas "Mãe está de volta."

A reencarnação desempenha um papel central no budismo e hinduísmo. Ela também aparece no jainísmo e sikhismo, duas religiões que se desenvolveram a partir do hinduísmo e ainda são praticadas na Índia. Jainísmo compartilha com o Hinduísmo uma crença em muitos deuses. Sikhismo, uma religião monoteísta, combina alguns elementos do Islã com o hinduísmo.

Hinduísmo, budismo, jainismo, sikhismo, todos esses começaram na Índia, onde a idéia de reencarnação aparece pela primeira vez em textos que datam de cerca de 700 aC Eles compartilham a crença na samsara (a roda de nascimento e renascimento)  e no carma (a idéia de que a reencarnação de um indivíduo depende da forma como ele ou ela viveu. As pessoas que fizeram boas ações e levaram vidas morais renascem em classes sociais mais altas, aqueles que não o fizeram estão condenados a retornar como membros das classes mais baixas ou como animais. Somente atingindo o mais elevado estado de desenvolvimento espiritual que uma pessoa pode alcançar, é que se pode escapar da samsara completamente.

O Ciclo do Samsara


Uma viagem muito longa

O historiador grego Heródoto registrou antigas idéias egípcias sobre reencarnação. Os egípcios - escreveu ele - acreditavam que a alma passava por uma grande variedade de espécies de animais, a vida marinha e aves antes de voltar a ser um humano. Todo o percurso, desde a morte de um ser humano para renascer como um ser humano novamente, levava 3.000 anos. Uma fonte egípcia, The Book of Going Forth by Day, em parte suporta o relato de Heródoto. Ele afirma que as almas de indivíduos importantes podem retornar à Terra na forma de criaturas como a garça-real ou crocodilo.

Mitos e Lendas da reencarnação

Muitos mitos e lendas do mundo apresentam alguma forma de reencarnação. No antigo nórdico, reis eram considerados reencarnações do deus Freyr. Após a introdução do cristianismo na Noruega, algumas pessoas acreditavam que o rei cristão Saint Olaf era a reencarnação de um rei pagão anteriormente também chamado Olaf.

Nas regiões árticas, onde os animais são essenciais para a sobrevivência, o povo Inuit acredita que os animais, assim como os seres humanos têm almas que renascem. Os caçadores devem realizar cerimônias para as criaturas que matam para que os espíritos animais possam renascer e serem caçados no futuro. Quando uma pessoa morre, parte da  sua alma vai encarnar no próximo bebê nascido na comunidade. Dar o nome da pessoa morta ao recém-nascido garante que a criança vai ter algumas das qualidades do antepassado.

A tradição budista inclui um conjunto de contos chamado Jatakas que são baseados na reencarnação. Eles falam de várias vidas de Gautama Buda e como ele cresceu mais sábio e mais santo cada vez que sua alma transmigrou de vida em vida. Em uma encarnação de Buda, ele  foi uma lebre que procurou o crescimento espiritual através do jejum. Ele tinha a consciência que se  um mendigo aparecesse, ele não teria nenhum alimento a oferecer, então ele decidiu que iria oferecer a sua própria carne. Um dos deuses desceu do céu e visitou a lebre na forma de um mendigo. A lebre de bom grado se jogou no fogo para fornecer uma refeição para o seu hóspede, mas o deus então salvou a lebre e pintou sua imagem na Lua para honrar o seu espírito de auto-sacrifício. Em seu caminho para se tornar Buda, Gautama passou por mais de 500 vidas que incluíam encarnações como um elefante, um sacerdote, um príncipe e um eremita.

A lenda japonesa de O-Tei ilustra o frequente apelo à idéia da reencarnação. O-Tei foi uma jovem prestes a se casar. Ela ficou doente, e como ela estava morrendo, ela prometeu seu futuro marido que ela voltaria em um corpo saudável. Ela morreu, e o jovem escreveu a promessa de casar com ela se ela retornasse. O tempo passou e, eventualmente, ele se casou com outra mulher e teve um filho. Mas sua esposa e filho também morreram. Com a esperança de curar sua dor, o homem foi em uma viagem. Em um vilarejo que ele nunca tinha visitado, ele ficou em uma pousada onde uma menina que se parecia muito com O-Tei o serviu. Ele perguntou seu nome e, falando com a voz de seu primeiro amor, ela lhe disse que era O-Tei. Ela disse que sabia de sua promessa e voltou para ele. Em seguida, ela desmaiou. Quando a menina acordou, ela não tinha nenhuma lembrança de sua vida passada ou o que ela tinha dito ao homem. Os dois se casaram e viveram felizes juntos.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

3 comentários:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby