4 de março de 2014

Zéfiro

۞ ADM Sleipnir


Zéfiro (em grego Zephyros) é o deus que personifica o vento do oeste, e também o mensageiro da primavera. Dos 4 ventos, Zéfiro é o mais suave, considerado uma brisa suave e agradável. Seus pais são os titãs Astreu e Eos, seus irmãos são Bóreas, Noto e Eurus, e suas consortes são a deusa Clóris (Flora na mitologia romana) e a deusa Íris (segundo os poetas Alceu e Nonnus), com quem gerou Potos. O seu equivalente romano é o deus Favônio. 

Nos primórdios, Zéfiro era considerado um deus violento, capaz de destruir tudo com o seu sopro indomável: arrasava plantações, provocava naufrágios e causava grandes danos aos seres humanos. O que cessou esse ímpeto destrutivo de Zéfiro foi sua súbita paixão pela deusa Clóris. Como rainha da primavera, a personalidade de Clóris era totalmente o oposto da de Zéfiro, e isso fez com que a deusa o rejeitasse. O amor de Zéfiro por Clóris era tão intenso e sincero, que para conquistá-la, Zéfiro transformou sua personalidade, convertendo-se em um vento suave e incapaz de causar a destruição. Com essa transformação, Zéfiro se tornou o mensageiro da primavera, e sua relação com Clóris produziu um filho, Carpo (fruto).

O mito mais famoso envolvendo Zéfiro trata sobre a sua rivalidade com o deus Apolo, pelo amor de Jacinto, um príncipe espartano. Zéfiro e Apolo competiam pelo amor de Jacinto, e no fim, este escolhe Apolo, o que fez Zéfiro ser tomado por um ciúme doentio. Um dia, ao avistar Jacinto e Apolo praticando lançamento de discos em um prado, Zéfiro tem  um ataque de fúria e sopra uma rajada de vento na direção do casal, fazendo com que o disco que jogavam saísse de seu curso e atingisse Jacinto violentamente em sua cabeça, matando-o instantaneamente. Apolo, mergulhado em sua tristeza, transforma o príncipe morto numa flor que carrega o mesmo nome que ele.


Apolo e Jacinto

Zéfiro também foi o responsável por tornar possível a história de amor de Eros e Psique, transportando a mortal até a morada do deus do amor.

Na arte clássica, Zéfiro era retratado como um belo jovem alado. Nas pinturas dos vasos gregos, figuras de um deus alado abraçando um jovem às vezes são identificadas como Zéfiro e Jacinto - embora estudiosos associem essas figuras com Eros (amor) e um jovem genérico. Nos mosaicos greco-romanos, o deus normalmente aparece como a personificação da primavera, carregando uma cesta de frutas verdes.

Zéfiro abraçando Jacinto


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

2 comentários:

  1. Adoro mitologia, principalmente a greco romana. Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Mitologia grega é a minha preferida. Estou escrevendo um livro que inclui várias mitologias e foi ótimo descobrir este blog porque eu precisava saber sobre Zéfiro. Assim que estiver pronto eu divulgo aqui.

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby