Image Map

13 de julho de 2015

Capeta do Vilarinho

۞ ADM Sleipnir

Arte de Rodrigo Viany (Sleipnir)

O Capeta do Vilarinho é um personagem folclórico da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. A Avenida Vilarinho é conhecida por ser uma das principais avenidas do bairro de Venda Nova em Belo Horizonte e é famosa principalmente por seus diversos bailes e casas de forró, gafieira, e diversos outros estilos. Foi em um destes bailes, mais precisamente no baile funk das Quadras do Vilarinho, que em um final de semana do início dos anos 90, teria acontecido o fato bizarro que deu origem a essa lenda.

Durante a noite, um rapaz muito bem apessoado se aproximou de uma moça e chamou-a para dançar. Apesar de o rapaz ser desconhecido de todos os presentes não chegou a causar desconfiança alguma. E justamente neste dia havia uma competição de dança onde alguns casais disputavam na pista o tão cobiçado primeiro lugar. 


Após a moça ver a desenvoltura do rapaz, decidiu participar do concurso como sua parceira. Eles dançaram por um longo tempo, e ele demonstrou ser um excelente dançarino, dominando vários estilos diferentes e surpreendendo a todos na pista. A moça se encantou por ele e acompanhou-o na dança, faceira. Mesmo os dois tendo se conhecido quase na hora da apresentação, eles foram muito bem e acabaram ficando com o segundo lugar. Foi nesse momento que, segundo testemunhas, o rapaz teria ficado muito nervoso por ter ficado em segundo lugar e perdido o controle. Conforme ele ia saindo furioso da pista de dança, a moça teria agarrado seu braço e nesse momento o chapéu do rapaz caiu ao chão. Ao olhar para a sua, a moça teria vislumbrando um par de chifres em sua cabeça e então soltou um grito. Todos no baile correram até o local para ver o que estava ocorrendo, e então se depararam com aquela visão assustadora e demoníaca.

A confusão e a comoção foi geral, mas na correria desesperada, ninguém conseguiu capturar o capeta. Muitos afirmaram ter visto, em meio ao corre-corre, patas de bode no lugar das pernas do rapaz. Na fuga, o capeta ainda teria ferido o porteiro do baile na canela - segundo a vítima, ele teria tentado deter o rapaz pensando que a confusão tivesse sido armada por uma briga, quando o "homem" lhe deu um coice, como se fosse um cavalo, deixando o pobre porteiro caído no chão. 

Não demorou até a notícia se espalhar e alcançar as rádios e TVs de toda a cidade. Repórteres foram enviados ao local para tentar cobrir uma nova aparição do Capeta, mas ele nunca mais apareceu. Alguns dizem que tudo não passou de uma brincadeira de amigos. O homem que, de fato, era um bom dançarino, teria colocado uma espécie de arco na cabeça, de forma bem discreta, e assustaria sua “vítima” no final da dança. A queda do chapéu seria proposital para que a brincadeira fosse revelada de forma natural. No entanto, ele e os amigos que assistiam, não esperavam o desmaio da moça e a repercussão do acontecido. Dessa forma, eles nunca teriam assumido a autoria da tal brincadeira com medo de represálias.


fontes: 
NÃO DEIXE O BLOG MORRER! Separe um minuto para comentar, elogiar ou criticar as publicações. Faça também sugestões. Sua interação é importante e ajuda a manter o blog ativo!

2 comentários:

  1. Disparado o PIOR post do Portal dos Mitos... Olhem a qualidade, pessoal!!!

    ResponderExcluir
  2. por aqui tem um historia semelhante mas era nos tempos de lambada

    ResponderExcluir



Seu comentário é muito importante, e muito bem vindo, porém peço que evitem:

1) Xingamentos ou ofensas gratuitas ao autor e a outros comentaristas;
2)Comentários racistas, homofóbicos, xenófobos e similares;
3)Spam de conteúdo e divulgações não autorizadas;
4)Publicar referências e links para conteúdo pornográfico;
5)Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Comentários que inflijam um desses pontos estão sujeitos a exclusão.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderei responder seus comentários de forma mais apropriada, e de brinde você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby