18 de abril de 2014

Freya

۞ ADM Sleipnir


Freya (Freyja, Freja, Freia, Freyia, e Frøya, as vezes confundida com a deusa Frigga) é uma das principais deusas da mitologia nórdica. Detentora de grande beleza, força e poder, Freya é uma deusa associada ao amor, a beleza, a luxúria, a fertilidade, a riqueza, a guerra e a morte, dentre muitos outros aspectos.  Seu nome significa "a senhora", e ela e seu irmão Frey ("o senhor") são os principais deuses da tribo dos Vanir. Freya é filha de Njord e Nerthus (ou Skadi, conforme a fonte), e seu consorte era o deus Odur (que segundo algumas fontes, é um aspecto de Odin). Suas duas filhas com Odur são Gersimi ( " ornamento" ) e Hnossi ( "tesouro " ). Como uma deusa associada à luxúria e ao sexo, Freya teve muitos amantes, mas apesar disso ela se importa profundamente com seu marido Odur. 

Os deuses nórdicos são geralmente divididos em dois "clãs":  Vanir, os deuses da terra e da fertilidade, e Aesir, os deuses do céu e do intelecto. Segundo o mito, esses dois clãs guerrearam por um longo tempo antes que a paz fosse estabelecida. Para selar o acordo de paz entre os clãs, Freya foi enviada para viver ao lado dos Aesir, juntamente com seu pai e seu irmão. Em troca, os Aesir enviaram Honir e Mimir para viverem ao lado dos Vanir. 

Em Asgard, Freya vive no palácio Sessrumnir, que fica localizado em Fólkvangr (que significa "campo de batalha"). Como líder das Valquírias, ela tinha um poder considerável. Ela tinha o direito de reclamar metade das almas dos bravos guerreiros que morreram em batalha. Na verdade, indo ao campo de batalha, ela iria recolhê-los e levá-los de volta com ela para passarem a vida após a morte em sua casa, em repouso perpétuo e recreação. Uma mulher doce e generosa, ela sempre convidada as esposas ou amantes dos guerreiros para vir e viver com eles. A outra metade dos guerreiros heróicos, pertenciam a Odin, e seriam recolhido pelas Valquírias e levados para Valhalla, onde eles estariam prontos para viver com conforto e honra.




Atributos

Freya é descrita como uma mulher possuidora de olhos azuis e cabelos dourados, muito linda e sensual. Ela possui um manto mágico feito com penas de falcão, o qual ela sempre emprestava para os outros deuses, quando precisavam voar para um dos nove mundos. Também é dona do Brisingamen, um colar maravilhoso feito de ouro e âmbar. Freya monta uma carruagem puxada por dois gatos negros ou cinzentos, e quando não a usa, Freya monta um javali chamado Hildisvini ("Suíno de Batalha"). 




Freya possuía magias que os Aesir não tinham, chamadas Seidr; que era uma poderosa magia ensinada apenas para as mulheres do clã Vanir e que envolvia a prática de transmutação, viagem do corpo astral através dos Nove Mundos, magia sexual, cura, maldição e outras técnicas; e Galdr, que era uma forma de linguagem mágica. Odin, em sua busca por conhecimento e poder, era o maior interessado em ter Freya como parte do acordo de paz, e aprendeu com ela a prática dessas magias - embora a Edda conte que ele teve de se vestir e agir como uma mulher, a fim de que Freya o ensinasse.

Os atributos de Freya são muito similares aos de várias deusas de outras mitologias, tais como: Afrodite/Vênus, Bastet, Ísis, Perséfone, Kali, Morrigan, Macha, dentre outras.  


Mitos

O Brisingamen



Para ler esse mito, clique AQUI.


O desaparecimento de Odur

Logo após se casarem, seu marido Odur desapareceu. Freya ficou inconsolável, e chorava lágrimas de ouro, se recusando a aceitar que ele estivesse morto. Mergulhada em sua angústia, Freya vestiu seu manto mágico e partiu para procurá-lo por toda a terra. Quando Freya finalmente o encontrou, descobriu que ele tinha sido banido pelos deuses e se transformado em um monstro marinho. Mesmo com uma aparência monstruosa, Freya ficou ao seu lado e o consolou.

Odur acabou morrendo, e Freya ficou furiosa e jurou se vingar dos deuses por sua morte. Para aplacar sua fúria, os deuses permitiram que Odur entrasse em Valhalla, embora ele não tivesse morrido em batalha, e Freya foi autorizada a visitá-lo sempre que quisesse. Assim, os dois nunca mais ficaram separados.



A construção do muro de Asgard

Em uma ocasião Freya foi visada por um dos gigantes, e graças à astúcia de Loki e a um ato de má-fé por parte dos deuses que ela foi salva. Os deuses, sempre temerosos a uma possível invasão à Asgard, decidiram construir uma fortaleza invencível. Eles receberam a proposta de um estranho, que estava disposto a construir um muro ao redor de Asgard, mas em troca, ele exigia o sol, a lua, e a deusa Freya. Loki aconselhou os deuses a aceitarem a oferta, com a condição de que ele deveria concluir o trabalho em seis meses, auxiliado apenas por seu cavalo. Para a surpresa dos deuses, o estranho concordou com essas condições, e com a ajuda de seu cavalo, começou a trabalhar. 

Os deuses, que no início tinham certeza de que suas condições tornariam a tarefa impossível, ficaram alarmados ao perceberem que o estrangeiro estava trabalhando tão rápido que parecia certo que ele seria capaz de cumprir a sua promessa. Os deuses não tinha a menor intenção de manter sua promessa, e responsabilizaram Loki por colocá-los nessa situação.Eles exigiram que Loki resolvesse essa situação antes do prazo terminar, sob pena de sofrer severos castigos. Loki lhes garantiu que iria resolver a situação com sua astúcia de costume, e já havia pensando num plano pelo qual o estranho certamente falharia em construir o muro a tempo. 


No último dia, quando apenas uma pedra a ser arrastada e colocada em seu lugar, Loki se transformou em uma égua, e, trotando para dentro da floresta, relinchou alto para atrair a atenção do cavalo do estranho. Cansado de seu trabalho contínuo e desejando liberdade e descanso, o cavalo se libertou de sua carga e galopou em direção à Loki. O estranho, depois de persegui-lo em vão pela floresta, voltou para Asgard e cheio de raiva contra o truque que os deuses pregaram nele, assumiu sua forma real, Hrungnir, o gigante de gelo, e tentou atacar os deuses, mas terminou sendo aniquilado pelo Mjolnir de Thor.

O roubo de Mjolnir


Numa outra ocasião, o gigante Thrym roubou o martelo de Thor,  Mjolnir, e como resgate exigiu que Freya se torna-se sua esposa. Loki, que estava intermediando o acordo, concordou com seus termos , mas quando Freya ouviu falar da presunção do gigante, ela ficou furiosa, e jurou que nunca iria deixar o seu amado Odur para viver com um gigante. Heimdall, o guardião da ponte Bifrost, então sugeriu que Thor fosse até o castelo de Thrym disfarçado como Freya, em companhia de Loki disfarçado como atendente de Freya . Thor pega emprestado as roupas e Brinsigamen de Freya, e usando um véu espesso, partiu com Loki. Ao chegar ao palácio do gigante , foram recebidos por Thrym , que ficou encantado com o sucesso de seu plano, e os levou ao salão de banquetes, onde uma grande festa estava sendo realizada. No final da festa, Thrym ordenou que o famoso martelo Mjolnir fosse trazido, e ele mesmo colocou-o no colo de sua noiva como um presente de casamento. A mão de Thor imediatamente se fechou sob o punho do martelo, e em apenas alguns instantes, Thrym e todos os convidados da festa de casamento estavam mortos.




Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

5 comentários:

  1. bem interessante.freya te parecido se uma mulher bem linda :D

    ResponderExcluir
  2. eu joguei um jogo e falava que freya tinha olhos vermelhos....E que seu amante era Odin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha midgard Love!!! Melhor jogo de romance!

      Excluir
  3. Eu joguei migarlove e falava que Freya tinha cabelos negros e olhos vermelhos...mas é muito interessante!

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby