16 de abril de 2014

Sedna

۞ ADM Sleipnir


Sedna (conhecida também por Sanna, Arnakuagsak, Arnarquagssaq, Nerrivik ou Nuliajuk) é uma deusa marinha pertencente à mitologia inuíte. Ela governa as criaturas marinhas e também Adlivum, o submundo inuíte. Os mitos sobre Sedna explicam a origem das criaturas do mar e refletem o ambiente inóspito do Ártico. Sedna é a divindade mais importante para os inuítes, pois eles acreditam que ela os provém todos os animais usados ​​para a sua alimentação.

De acordo com um mito, Sedna era uma criança com um enorme apetite e em certo momento, tentou comer o braço de Anguta, seu pai, enquanto ele dormia. Quando Anguta acordou, colocou Sedna em um barco e levou-a para o mar. Ele tentou jogá-la ao mar, mas ela se agarrou firmemente à lateral do caiaque. Em seguida, Anguta cortou as articulações de seus dedos, uma de cada vez. À medida que os pedaços dos dedos de Sedna caíam na água, eles se transformaram em baleias, focas e leões-marinhos. Quando todos os dedos se foram, ela caiu no mar e se afogou, e seu corpo foi para Adlivum, onde os mortos se purificavam para poderem ingressar em Quidlivun (terra da Lua), onde ficavam em paz eterna. 

Em outra versão da história, Sedna era uma jovem mulher que recusava todos os pretendentes que buscavam sua mão. Um dia, uma ave marinha disfarçada como um homem bonito visitou-a e prometeu que, se ela se casasse com ele, iria viver no luxo pelo resto de seus dias. Contra a vontade de seu pai, Sedna se casou com a ave. No entanto, ela logo descobriu que as promessas da ave eram falsas. Ela levou uma vida infeliz em um abrigo frágil com apenas peixe cru para comer.

Quando seu pai foi visitá-la, Sedna lhe pediu para levá-la para casa. Anguta matou a ave mentirosa e partiu em seu caiaque com Sedna. No entanto, os outros pássaros criaram uma tempestade em pleno mar. Para acalmar as águas, Anguta decidiu jogá-la ao mar como oferenda para os pássaros. Assim como no outro conto, ela se agarrou ao barco e seu pai cortou os seus dedos até ela cair no mar. Em algumas versões da história, Anguta puxou-a de volta para o barco. No entanto, irritada com a crueldade de seu pai, ela incitou seus cães a tentar devorá-lo enquanto ele dormia, porém Anguta acordou, e amaldiçoou Sedna e seus cães. O chão se abriu e engoliu todos eles, e Sedna se tornou a deusa do submundo.


Por causa de todo o sofrimento pelo qual passou, Sedna se tornou uma divindade rancorosa e vingativa. Quando se sente ofendida, ela aprisiona todos os animais, impedindo que as pessoas possam pescar e caçar. A única forma de reverter essa situação é enviar ao fundo do mar um guerreiro que possua poderes xamânicos. Ao chegar até Sedna, ele deve pentear e desembaraçar os seus cabelos, que ficam sujos e cheios de lodo por causa dos pecados da humanidade. Em agradecimento, Sedna liberta os animais e com isso a humanidade pode se alimentar novamente.


Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

Nenhum comentário:



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby