13 de outubro de 2014

Mictlantecuhtli

۞ ADM Sleipnir



Mictlantecuhtli (Miclantecutli) ou "Senhor da Terra dos Mortos'' era o deus asteca da morte, adorado em toda a Mesoamérica. Ele é o governante de Mictlan, o submundo asteca, juntamente com sua esposa Mictecacihuatl (Saiba mais sobre Mictlan AQUI). Juntos, eles habitavam uma residência sem janelas, de onde vigiavam  as almas dos mortos. É provável que ele tenha sido um dos primeiros deuses astecas, e alguns estudiosos acreditam que ele era associado com Tezcatlipoca

No calendário asteca, Mictlantechtli é o protetor do dia itzcuintli (cão) e considerado o fornecedor das almas daqueles nascidos nesse dia. Ele também é o 5 º Senhor da Noite e o 6 º (ou 11° ) Senhor do Dia. É o equivalente do deus maia Ah Puch, o deus zapoteca Kedo e o deus tarascano Tihuime. Mictlantecuhtli é intimamente associado às corujas, aranhas e morcegos. Mictlantecuhtli era particularmente adorado no mês asteca de Tititl onde, no templo de Tlalxicco, um imitador do deus era sacrificado e incenso era queimado em sua honra.



Representações 


Mictlantecuhtli é usualmente retratado nas artes como um esqueleto manchado de sangue. Ele também pode ser representado como um homem vestindo um crânio com dentes salientes, tampões de ossos nos ouvidos, uma mantilha adornada com penas de coruja e também um colar de globos oculares. Ocasionalmente, Mictlatecuhtli é representado usando roupas e um chapéu cônico feito de papel-casca. Suas figuras também costumam ser retratadas com uma coruja pousada em seu braço. 

Ele foi muitas vezes retratado usando sandálias como um símbolo de sua alta posição como o Senhor de Mictlan. Seus braços eram frequentemente representados aumentados em um gesto agressivo, mostrando que ele estava pronto para rasgar os mortos quando estivessem em sua presença. Nos códices astecas, Mictlantecuhtli é muitas vezes representado com a mandíbula aberta para receber as estrelas que descem para ele durante o dia.



Mitos

Após recriarem o mundo, Quetzalcoatl e Tezcatlipoca decidiram criar a humanidade para que habitassem o mesmo. Para isso, eles precisavam dos ossos humanos da geração anterior, e que estavam no submundo sob a tutela de Mictlantecuhtli. Quetzalcoatl, acompanhado de seu irmão Xolotl, decide ir até Mictlan recuperar esses ossos.

Ao chegarem em Mictlan, encontraram Mictlantecuhtli e pediram a ele para que cedesse os ossos. Mictlantecuhtli diz a Quetzacoatl que somente iria ceder os ossos a eles se ele fosse capaz de completar um desafio. Quetzacoatl deveria dar 4 voltas no submundo tocando uma trombeta feita com uma concha. A tarefa parecia simples, porém a concha dada a Quetzacoatl não produzia nenhum som. Quetzacoatl resolve o problema fazendo com que vermes furassem a concha e colocando abelhas dentro dela, reproduzindo assim um som similar ao de um trombeta.


Ao ouvir o som da concha, Michlantechutli permite que Quetzalcoatl pegasse os ossos, porém muda de idéia logo em seguida, mas seus esforços são em vão. Quetzalcoatl consegue escapar do submundo com os ossos. Irritado, Michlantechutli ordenou que seus capangas cavassem um poço profundo em meio ao caminho por onde Quetzalcoatl seguia, e ele acaba caindo dentro do mesmo e morrendo. Com a queda, os ossos se quebraram em vários pedaços diferentes (segundo a lenda, esta é razão pela qual as pessoas hoje possuem tamanhos diferentes).

Eventualmente, Quetzalcoatl revive, recupera os ossos e os entrega para a deusa Cihuacoatl, que os tritura criando uma espécie de farinha e depois coloca essa farinha em um recipiente especial. Os deuses então se reunem em torno deste recipiente e derramam gotas de seu próprio sangue. A partir dessa mistura, a humanidade é criada.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

4 comentários:

  1. Prefiro Anubis e a mitologia egipicia

    ResponderExcluir
  2. Se você não quer ler sobre outras mitologias: respeitamos à sua vontade. Mas em contrapartida, respeite a dos outros. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  3. mals ai kra eu respeito muito a mitologia asteca ,mas só falei minha preferencia

    ResponderExcluir
  4. Olá eu vim aqui para falar sobre aquele assunto do sudious mouse que é esse tipo de esqueleto, é a morte com outro nome que eu não quero escrever já me dá arrepios.

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby